Tag: Jornal

71ª / 72ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

71ª / 72ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

Jornal
2017 TERMINOU Companheiros e companheiras do tapete negro da estrada! Finalmente o ano de 2017 terminou. O engraçado é que o ano foi iniciado como terra arrasada. No primeiro trimestre, o pessimismo imperava, todos esperavam pelo pior, e por mais incrível que pareça, chegamos ao final de 2017 com um pouco mais de otimismo, com esperança em uma economia que continua andando independente das "lambanças" que a classe política está fazendo. Para ser bem sincero, não são apenas os políticos que aprontam, mas no atual momento constatamos que o judiciário até na sua mais alta corte e seus juízes de Primeira Instância estão cometendo seguidos equívocos. Chegamos então ao final de 2017 respirando. Tivemos uma FENATRAN que surpreendeu até o mais pessimistas com resultados expressivos tirando a
70ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

70ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

Jornal
FENATRAN MOSTRA O CAMINHO Bem diferente de 2015, a Edição 21 da FENATRAN mostrou sua força. Neste ano, estavam presentes todas as montadoras nacionais como os principais players do setor. A economia de certa forma acena com uma leve e singela retomada de crescimento. Existe um certo otimismo no ar e a 21ª Edição da FENATRAN mostrou isso com clareza. Praticamente todos os expositores estavam com um belo sorriso no rosto, e é voz corrente que muitos negócios foram realizados durante a Feira que contou com 350 expositores e um público estimado em 50.000 visitantes. Para nosso amigo José Hélio Fernandes, a FENATRAN 2017 “superou as expectativas”. Acredito que essa pode ser considerada a FENATRAN da virada. Além dele, outros significativos representantes do setor expuseram suas opiniões
68ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

68ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

Jornal
Mais um agosto e mais um mês de “Cachorro Louco” Companheiros e companheiras do trecho, em agosto de 2015 já tratei do assunto neste espaço, mas volto a escrever novamente e os amigos vão entender! Os (as) companheiros (as) que tem um pouco mais de 50 anos e cresceram no interior do Estado lembram desta história do “cachorro louco” no mês de agosto. E a bem da verdade, fui pesquisar o porquê do referido mês ter esta fama ruim. O fato é que eu não achei nenhuma literatura convincente a respeito. Existe quem diga que tem a ver com a 2ª Guerra Mundial e as bombas de Hiroshima e Nagasaki. E há outros que comentam que isso ocorre em função de no referido mês existir uma grande incidência de cadelas no cio fazendo que os machos briguem e acabem transmitindo a raiva pela saliva. Enfim, por
67ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

67ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

Jornal
MEIO ANO JÁ SE FOI Companheiros e Companheiras do trecho aconteceu o que não queríamos e torcíamos para não acontecer, a FÓRMULA TRUCK suspendeu a temporada de 2017, por inúmeros problemas a direção da competição achou melhor suspender a temporada atual e preparar com novo folego a temporada de 2018. Meio ano se foi e estamos todos com a mesma pergunta, será que agora começa a melhorar, será que chegamos no fundo do poço a pergunta está em todo canto, e na minha modesta opinião só é possível acontecer uma melhora real e gradual quando descolarmos a Política da Economia, só assim é possível imaginar um cenário melhor, muitos vão dizer que é impossível mas vamos olhar o Agronegócio, mesmo com toda crise política e incertezas ele foi lá e colheu uma nova safra recorde. Isso mostra que pos
65ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

65ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

Jornal
E MAIO CHEGOU! Companheiros e Companheiras do trecho, em janeiro eu comentei sobre o início da Temporada 2017 da Formula Truck, e eis que na Automec, feira de auto peças, tomo conhecimento que os dissidentes da Fórmula Truck criaram a Copa Truck! Em época de crise como a que estamos vivendo, onde a verba publicitária some, na minha modesta opinião seria o momento de unir forças, de superar as diferenças e achar um meio termo que agrade a todos. Mas não foi isso que aconteceu, não adianta querer achar culpados, a perda é geral, perde o publico que adora ver os brutos a milhão, perdem os patrocinadores que, com a verba já diminuta, tem que dividi-la, perdem os organizadores pois tem que tirar leite de pedra para colocar as provas em pé. Particularmente, fic
61ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

61ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

Jornal
2017: mais um ano desafiador! Companheiros e companheiras do trecho, inicio esta edição desejando muita saúde e paz para todos e todas. Antes de qualquer coisa, quero me desculpar, pois, por problemas alheios à nossa vontade, a edição de janeiro sai junto com a de fevereiro. Com certeza em março voltamos com nossas edições mensais. O ano de 2016 foi de extrema dificuldade não só para o nosso setor como para toda a economia e a sociedade brasileira. O processo político que desencadeou o impeachment e a troca de governo trouxe inúmeras incertezas e descrenças no cenário brasileiro. Agora, estamos em 2017 e parece que o cenário nos traz as velhas indagações sobre os rumos do transporte rodoviário de cargas. As previsões são as mais diversas, desde o otimista até o mais pessimista! Fica
60ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

60ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

Jornal
Enfim, o fim de 2016! O ano de 2016 parecia interminável. Nos primeiros meses imaginávamos que aquela crise que já se revelava no ano anterior pudesse tomar outros rumos. No entanto, o cenário que se apresentou tanto econômica quanto politicamente não foi nada favorável. O processo político do impeachment, delineado já nos primeiros meses do ano, colocou em evidência um sistema político que carece urgentemente de reformas. Apesar de ter sido justificado com a promessa de melhoras, o impeachment agravou a crise econômica brasileira e fez crescer ainda mais a desconfiança nas instituições, bem como nos investimentos. A classe política legislativa e executiva, juntamente com um judiciário completamente imerso em interesses obscuros e escusos, já não se apresentam enquanto caminhos efet
59ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

59ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

Jornal
Para onde vai o nosso setor? Novembro desponta no calendário anual e já consolida o fim de mais um ciclo para o setor do transporte rodoviário de cargas. A pergunta que todos os membros da cadeia logística repetem é: para onde vai o nosso setor? As dúvidas a respeito de quais rumos tomarem dividem as opiniões. Os mais otimistas acreditam que a economia deve alavancar em 2017 e o setor deve ganhar novo fôlego para aumentar a produtividade. Já os mais realistas defendem a tese de que ainda é preciso mais tempo para que o setor, abalado pela crise nacional e internacional, possa se encaixar através de novas estratégias. As últimas medidas tomadas pelo novo governo aumentaram os índices de desemprego e não estão conseguindo criar novas vias de atuação no mercado para empresas e fabricante
57ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

57ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

Jornal
Setembro é mês de celebração Desde que foi iniciado, o projeto Chico da Boleia sempre teve como missão “conquistar o coração do caminhoneiro”. Neste mês de setembro, comemoramos seis anos de trabalho, conquistas e aprendizados, sem deixar de lado o objetivo que nos impulsiona. Temos muito que comemorar! Neste longo caminho percorrido até aqui, uma coisa ficou clara: hoje, já não somos mais um projeto e sim uma realidade. Nossa plataforma de comunicação tem alcançado o público caminhoneiro do país e estamos conseguindo, cada vez mais, levar informação de qualidade e com responsabilidade para nossos leitores e leitoras. Claramente, nossos objetivos são contínuos, e vocês, caminhoneiros e caminhoneiras das estradas são os grandes responsáveis pelo nosso crescimento. É com vocês e para vo
56ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

56ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

Jornal
De pai para filho (a) Para nós do trecho, não é novidade que a profissão de caminhoneiro (a) é, muitas vezes, um legado deixado de pai para filho (a). No dia a dia das estradas é possível identificar uma série de personagens que nos relatam essa realidade. Não são só homens que herdaram de seus pais a técnica e a habilidade da profissão, mas, atualmente, esses personagens são também mulheres, como constatamos ao longo do nosso trabalho. Entre os caminhoneiros e caminhoneiras do país é muito comum identificar aqueles que, desde muito cedo, já nutriam a paixão pelos caminhões. É o que se constata, por exemplo, na tradicional Festa do Caminhoneiro de Itabaiana, durante a Carreata Mirim. No evento, as crianças da cidade, juntamente de seus familiares, trabalhadores e trabalhadoras das estr