92° Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

Enfim chegamos ao começo de mais um ano. E quantas expectativas carregamos conosco! O ano de 202 foi marcado pelo aprofundamento das dificuldades e dos desafios impostos pela pandemia. Foram muitas incertezas, mas também um ano de muita fé, de se reinventar e, acima de tudo, de praticar a resiliência.

Começamos o ano de 2022 impactados pela demora na vacinação das crianças. Infelizmente, ainda convivemos com instituições e governantes que insistem em duvidar da eficácia dos imunizantes e que tardaram a liberar seu uso para a população menor de 12 anos de idade. Também fomos impactados com o drástico aumento de casos
e internações pela circulação da variante Ômicron. A cada nova cepa, temos a certeza de que não podemos fazer previsões sobre a pandemia e de que é preciso continuar a tomar os cuidados necessários.

Uma boa notícia nesse quadro avassalador é que as vacinas, de fato, funcionam. Mesmo com o aumento do número de casos houve uma redução substantiva no percentual de mortes, se comparado ao mesmo período do ano passado. As pessoas completamente imunizadas, com a segundo dose e/ou dose de reforço, tem se mostrado resistentes ao desenvolvimento dos casos graves da doença. Em meio ao caos na saúde, essa notícia é a prova de que todos os esforços realizados até aqui, como o distanciamento social, isolamento, uso de máscaras e a imunização, estão surtindo efeito.

O ano de 2021 também foi de retomada das atividades após a retração causada pela segunda onda. Porém, essa retomada foi imediatamente impactada pela falta de insumos para produção industrial no país. Entre as montadoras de veículos e caminhões, por exemplo, identificou-se a falta de todo tipo de peça, aumentando os prazos de entrega a perder de vistas e também o valor dos veículos novos e seminovos. Evidentemente, essa realidade impacta diretamente o setor do transporte rodoviário de cargas e toda a cadeia logística.

Apesar de todas as dificuldades enfrentadas até aqui, acredito que temos que agradecer por chegarmos com saúde e por seguir trabalhando. Temos que agradecer por estarmos vivos e abraçar àqueles que perderam seus entes e amigos queridos nesse período.

O ano de 2022 inicia com a expectativa geral de ser um ano de recuperação, isso se superarmos o gargalo da falta de insumos e conseguirmos reduzir os danos dessa nova onda de casos da Covid-19. Também é um ano eleitoral, de disputa por presidência da República, governos estaduais e pela composição do legislativo. No nosso setor temos discussões importantes e que seguem pendentes, como a Lei do Marco Regulatório, que segue tramitando no Senado. Também estamos de olho na Lei da BR do Mar, e na consulta pública sobre o RNTRC.

Outra pauta importante e em constante alteração é o valor mínimo do frete, recentemente reajustado pela ANTT. Uma das razões para o reajuste foi a constante subida no preço dos combustíveis, em especial do diesel, o que tem impactado negativamente os transportes e o preço dos produtos em todo o Brasil. Já no mês de janeiro de 2022, o litro da gasolina chegou a bater os R$8,00 em alguns locais do país. Definitivamente, esse é um assunto que continuará rendendo muitas discussões neste ano.

Nesta edição trazemos informações importantes sobre o reajuste dos combustíveis e ampliamos a discussão sobre as razões que causam os constantes aumentos de preços nas bombas de combustíveis. Também abordamos as ações da Rede Solidária Chico da Boleia, bem como os lançamentos e festividades do setor. A coluna “Saúde no trecho” traz importante reflexão sobre as campanhas de prevenção do mês de fevereiro. Já a reportagem da coluna “Oficina do Chico” dá dicas importante sobre como manter em dia a manutenção do seu veículo e evitar
despesas extras no começo do ano.

Esperamos que 2022 seja um ano de reflexão e reparações, tanto para nós como para o setor. Eu, Chico da Boleia, agradeço a todos os parceiros, amigos, companheiros, que estiveram conosco até aqui. Agradecemos à todos os apoiadores da Rede Solidária que permitiram a realização de ações por vários locais do país, levando itens de higiene, alimentos e informações para os trabalhadores e trabalhadoras. Que 2022 seja um ano de recomeços e alegrias!

Boa leitura!

Chico da Boleia – A voz do setor dos transportes

Comentarios