86ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

O que vem pela frente?

Companheiros e companheiras do tapete negro da estrada, 2019 já tem sido um ano intenso! Com o novo governo propondo medidas de alteração com a pretensão de alavancar a economia, precisamos repensar os rumos que o Brasil está tomando política e socialmente. A PEC 06/2019, Proposta de Emenda à Constituição que propõe a Reforma da Previdência, tem sido debatida no âmbito do Governo Federal e dividido as opiniões não só dos representantes do Estado, mas também das entidades sindicais e demais órgãos representativos.

Apoiados no discurso de um suposto “rombo” da previdência, os representantes do atual governo querem acelerar o processo de aprovação do texto na Câmara e no Senado. É preciso dizer que o sistema previdenciário vem sendo alterado desde a década de 1990, mas também é verdade que nunca uma proposta de reforma foi tão agressiva quanto a atual. Isso porque o novo modelo visa mudar a própria essência do benefício da previdência: de um sistema solidário para um sistema de capitalização.

E você, caminhoneiro ou caminhoneira, deve estar se perguntando: o que eu tenho a ver com tudo isso? Pois a resposta é simples: tudo a ver! A reforma da previdência, caso aprovada, alterará regras como tempo de contribuição, de serviço, alíquotas de contribuição e valor da aposentadoria. Também propõe alterar as categorias de beneficiários da Previdência Social, bem como a seguridade social no campo e dos trabalhadores informais. Por esse motivo, nossa reportagem principal é inteiramente dedicada a esmiuçar todos os pontos propostos pela reforma, e entender como eles podem afetar a vida de todos nós, trabalhadores e trabalhadoras brasileiros.

Mas o ano de 2019 também tem suscitado muitas perguntas. O que podemos esperar? Nesse momento, podemos dizer que apesar das promessas do governo federal eleito sobre criação de empregos e manutenção dos existentes, fomos surpreendidos com uma surpresa negativa! No universo do transporte rodoviário de cargas, a onda de otimismo foi derrubada com o anúncio de fechamento de uma das unidades de fabricação da montadora Ford, em São Bernardo do Campo. Além das demissões previstas (atualmente existem cerca de 3 mil trabalhadores diretos e indiretos), a montadora anunciou que venderá os estoques até o final de 2019 e que deixará de fabricar modelos como o F-4000 e F-350. O que verdadeiramente me assusta, é não haver nenhuma mobilização do setor político para tentar manter os empregos e negociar a permanência da planta da fábrica em São Bernardo.

Nesta edição também lançamos colunas novas. Uma delas é a Ciência na Boleia, inaugurada com uma matéria sobre a pesquisa realizada pelo historiador Danilo Moreira Leite, da Universidade Federal da Grande Dourados. O jovem aluno do curso de doutorado pesquisa as representações das mulheres em revistas do segmento dos transportes e procura entender a partir de qual momento elas passaram a ser identificadas como categoria profissional, ou seja, como caminhoneiras e carreteiras.

Publicidade:

anuncio

A outra novidade é a coluna Chico Legal destinada a prestar assessoria jurídica sobre a legislação referente ao setor, normas de trânsito e direitos trabalhistas. Ela resulta de uma parceria entre o Sindicam-Amparo e o escritório de advocacia LBS Advogados. Enviem suas dúvidas e elas serão sanadas por especialistas no assunto. Dentre outros assuntos debatidos nesses primeiros meses de 2019, retomamos a discussão sobre o Marco Regulatório do Transporte Rodoviário e da fiscalização, ainda deficitária, do fim da carta frete. Levantamos informações que dão conta apenas 22% da Conta Frete passa pelo Pagamento Eletrônico do Frete isso quer dizer que companheiros ainda aceitam a nefasta carta frete, um total absurdo.

Peço ainda licença para o relato pessoal que publico nesta edição: o grave acidente que sofri em 10 de maio do ano passado. Descrevo, portanto, os detalhes de como tudo aconteceu e conto, ainda, como a solidariedade de um caminhoneiro foi fundamental para salvar minha vida. Mais uma vez queremos agradecer a todos que nos dão uma audiência maravilhosa seja lendo nossos jornais, acessando nosso site ou nos acompanhando pelas redes sociais. Também agradecemos aos nossos patrocinadores que acreditam que, mais que publicidade, o importante é informar com precisão.

Boa leitura,
Chico da Boleia, sempre com orgulho de ser caminhoneiro.

Agora você também pode contribuir com as notícias do jornal Chico da Boleia. Viu algo interessante e quer divulgar? É só mandar no whatsapp.

chicodaboleia@chicodaboleia.com.br
Whatsapp: (19) 98319-4127

Comentarios