Scania Driver Competitions consagra, pela segunda vez consecutiva, o melhor motorista de caminhão do Brasil.

O gaúcho Eliardo Locatelli sagrou-se vencedor do Scania Driver Competitions, cuja final nacional foi realizada nos dias 9 e 10 de novembro, no Auto Posto Graal Estrela, em Queluz, São Paulo. Locatelli já havia vencido em 2014, quando a competição ainda era chamada de Melhor Motorista de Caminhão do Brasil.

Neste ano, o evento que testa os conhecimentos e as habilidades técnicas de motoristas de todo o país ganhou novo formato e inclui uma final sul-americana que será disputada entre representantes do Brasil, Chile, Peru e Argentina, nos dias 26 e 27 de novembro. O vencedor da etapa ganhará um Scania R 440 0km, o vice-campeão leva um prêmio de R$ 25 mil, e o terceiro ganhará R$ 15 mil.

img_8568

A empreitada para os competidores e competidoras da edição 2016 do Scania Driver Competitions não foi fácil. Após etapas regionais realizadas pelo ano todo em diferentes estados do país, 60 motoristas foram classificados para as provas eliminatórias do dia 9 de novembro. Dentre eles, uma mulher, Cristina Oliveira Costa, mineira de Contagem e motorista de caminhão há 13 anos.

Os classificados foram avaliados a partir de provas teóricas, com questões sobre legislação, meio ambiente e condução eficaz, além de provas práticas, que testaram sua destreza e seu controle emocional. Na manhã do dia 10 de novembro foram anunciados os nomes dos 27 finalistas que brigaram por um lugar no pódio.

A final nacional foi composta de novas provas de manobras, exigiu dos competidores habilidade no volante e rapidez. Divididos em nove grupos de 3 pessoas cada, os motoristas competiram e somente um de cada rodada foi classificado para o teste seguinte.  Numa nova rodada, os nove motoristas classificados foram colocados à prova e os três melhores se enfrentaram na final.

Eliardo Locatelli, Ruy Hermes Gobbi e Luiz Carlos dos Santos disputaram a chamada prova do Rei, que definiu a classificação dos três motoristas. Os competidores tiveram que derrubar quatro pinos vermelhos com a roda do caminhão, entre dois azuis e em quatro locais diferentes, no menor tempo possível, e num espaço bastante pequeno para as manobras.

Numa prova em que a experiência e o equilíbrio emocional faziam toda diferença, Locatelli saiu em vantagem. Conseguiu derrubar os pinos e concluir o último desafio da final nacional. Bicampeão da competição, o gaúcho de 35 anos contava com uma torcida animada. A mulher, Luciana, junto com os filhos, esteve ao lado do motorista durante todas as fases da competição. Vestida com uma camiseta que levava a foto do marido, ela não deixou de acreditar nem por um segundo. “Ele vai ganhar, eu tenho certeza”, disse ela, quando Eliardo foi classificado para a prova do Rei.

Competição exigiu destreza e controle emocional dos participantes. Foto: Larissa J. Riberti
Competição exigiu destreza e controle emocional dos participantes. Foto: Larissa J. Riberti

Durante a coletiva de imprensa, Locatelli destacou que é uma honra conquistar pela segunda vez o posto de melhor motorista de caminhão de Brasil. “É a realização de um sonho pessoal, e eu vim com esse objetivo. O Scania Driver Competitions é aquele tipo de evento que dá um ânimo muito grande pra nós, caminhoneiros e o meu pedido é que a Scania nunca desista da gente.”, afirmou Locatelli.

O vice-campeão da prova, o catarinense Ruy Gobbi, entrou e saiu do seu caminhão rezando. Radiante pela conquista, o motorista de 49 anos, disputa a competição desde a sua primeira edição, realizada em 2005. Desta vez, o caminhoneiro conseguiu chegar mais longe e enfatizou, durante a sua fala para a imprensa, a importância de eventos como o Scania Driver Competitions na promoção da educação e treinamento para a categoria.

“Nós estamos num seleto grupo de motoristas, mas não podemos nos esquecer de que representamos uma classe de milhões no Brasil. Por isso é uma satisfação muito grande proporcionar isso pra quem sempre acreditou em mim: minha família e amigos da estrada.”, declarou Gobbi,

Para o caminhoneiro, a competição envolve situações reais do cotidiano dos motoristas como o conhecimento em legislação, o comportamento para uma direção defensiva, conhecer os itens do checklist, entre outros.

“Eu me inscrevi no Scania Driver Competitions com o objetivo de ganhar o curso Master Driver, para buscar treinamento e, possivelmente, uma realização financeira. Mas a competição promove o reconhecimento da nossa profissão e nos dá condições pra enfrentar situações reais com mais preparo. Isso é muito importante”, concluiu o motorista.

O terceiro lugar do pódio ficou com Luiz Carlos dos Santos. Baiano de 31 anos, o caminhoneiro declarou durante a coletiva de imprensa que antes de se inscrever no Scania Driver Competitions estava decidido a deixar a profissão. Ao final do processo, no entanto, ele mudou de opinião.

Eliardo Locatelli é bi-campeão da competição e agora vai em busca do caminhão 0km. Foto: Larissa J. Riberti
Eliardo Locatelli é bi-campeão da competição e agora vai em busca do caminhão 0km. Foto: Larissa J. Riberti

“Eu também me inscrevi porque queria conseguir o curso de Master Driver, porque é um curso que nos abre portas. No final, o conhecimento é o que a gente leva daqui. Esse evento valoriza o que a gente faz. Eu não esperava chegar entre os três. Depois do que eu vivi aqui, já não quero mais deixar minha profissão e queria falar pra todos os motoristas que a gente tem que buscar conhecimento, se atualizar e valorizar nossa profissão.”, declarou Luiz Carlos.

O motorista também destacou que nunca havia dirigido um caminhão Scania antes. Os dias de competição, bem como os obstáculos superados pelo caminhoneiro durante a final resultaram, segundo ele, “numa conduta diferente” que será levada adiante.

Os 27 melhores da final brasileira ganharam um curso presencial “Master Driver Scania” de 40 horas. O trio vencedor foi premiado com R$ 40.000, R$ 20.000, R$ 10.000 de acordo com a classificação final.

Luiz Carlos, Ruy e Eliardo são os representantes brasileiros da final latino-americana e agora vão em busca de um sonho: o caminhão Scania R 440 0km.

Para eles, no entanto, a conquista do prêmio tem outros significados. No caso de Luiz Carlos, representa poder estar mais perto da família. Para Ruy Gobbi é ter autonomia. No caso de Eliardo Locatelli, é poder usufruir de maior liberdade profissional e gozar de um caminhão sem prestações para pagar.

Com sonhos diferentes, mas de igual valor, o trio que representará o Brasil na final latino-americana promete muitas emoções para a torcida brasileira. Nós desejamos boa sorte e que todos eles possam ter sempre muito orgulho de serem caminhoneiros.

Redação Chico da Boleia

Comentarios