Exame Toxicológico: Caminhoneiros (as) devem ficar atentos as datas limites

A avaliação tem como objetivo garantir a segurança dos condutores durante a atividade e também a reduzir o número de acidentes e mortes nas estradas do país. (Foto: reprodução)

Exame Toxicológico: Caminhoneiros (as) devem ficar atentos as datas limites

Motoristas com CNH nas categorias C, D e E precisam realizar a avaliação obrigatória no prazo correto

Redação Chico da Boleia

Um levantamento da Associação Brasileira de Toxicologia (ABTOX) revela que, até novembro deste ano, cerca de 300 mil motoristas com Carteira Nacional de Habilitação (CNH), das categorias C, D e E não cumpriram o prazo para a realização do exame toxicológico.

A avaliação, determinada pelo Contran, tem como objetivo garantir a segurança dos condutores durante a atividade e também a reduzir o número de acidentes e mortes nas estradas do país.

Ainda de acordo com a ABTOX, até o fim de 2021, o número de condutores que perderam o prazo para a realização do exame pode chegar a um milhão, cuja consequência é a perda do direito de dirigir (por 90 dias), bem como o pagamento obrigatório de multas, a partir de R$ 1.467,35. O responsável só poderá voltar a atividade após apresentar o exame toxicológico negativo.

A Associação divulgou um calendário para orientar os motoristas sobre datas e prazos limite para fazer o exame.

Vale destacar que a avaliação deve ser realizada a cada trinta meses, como pré-condição legal para a renovação das CNHs.

– É importante que os condutores sejam comunicados pelos órgãos de trânsito sobre a proximidade da data da realização de seus exames. Avisos eletrônicos enviados com trinta de antecedência da data do vencimento, como prevê a lei, para a renovação da CNH, seria uma solução simples, barata e efetiva. Afinal o exame é fator fundamental da regularidade e mesmo da validade da CNH – explica Renato Dias, presidente da Associação Brasileira de Toxicologia (ABTOX).

Comentarios