Cegonheiros também serão multados se não retirarem os veículos de Boa Viagem

O descumprimento da decisão de retirada imediata dos veículos agora é de R$ 50 mil por dia para os caminhoneiros. A multa para o sindicato subiu de R$ 10 mil para R$ 100 mil
O protesto dos motoristas de caminhão-cegonha pela valorização da mão de obra pernambucana sofreu nova punição judicial nesta quinta-feira. Caso os veículos não sejam removidos de imediato, os caminhoneiros também serão multados em R$ 50 mil por dia. A penalidade para o sindicato da categoria subiu de R$ 10 mil para R$ 100 mil, também por dia. A decisão foi assinada pelo juiz Lúcio Grassi de Gouveia, da 8ª Vara da Fazenda Pública. Os veículos estão estacionados, há mais de duas semanas, na Avenida Boa Viagem e em vias próximas à orla. A determinação da cobrança de multa se estende para qualquer área da cidade, onde não é permitido esse tipo de estacionamento.
O juiz atendeu a uma ação movida pela Procuradoria Geral do Município. Na petição, o procurador informou que a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) identificou 40 caminhões estacionados irregularmente e prejudicando o trânsito na região. A alegação é de que eles estão ocupando faixas de rolamento e locais de estacionamento permitido apenas para veículos menores e motocicletas, o que viola o Código de Trânsito Brasileiro.
O magistrado estipulou, também, multa de 20% do valor da causa para os réus por “ato atentatório à dignidade da Justiça”. O juiz já havia determinado a desocupação dos caminhões-cegonha estacionados em via pública, ficando definido que o dia 11 de agosto seria o prazo limite para o cumprimento da decisão.
 
ENTENDA O PROTESTO
A manifestação da categoria tem o objetivo de chamar atenção por uma maior utilização de mão de obra pernambucana para o transporte de veículos fabricados no estado e desembarcados no porto de Suape. Os cegonheiros argumentam que o transporte vem sendo feito, atualmente, por empresas de São Paulo e Minas Gerais.

Comentarios