Saiba quem são os maiores “furões” de pedágio na BR-277

Ano passado, nas praças de pedágio da Ecocataratas, foram registradas 12.444 evasões de veículos, uma média de 34 veículos por dia.
Considerada infração grave, prevista no artigo 209 do Código Brasileiro de Trânsito, a evasão de pedágio ainda é constantemente flagrada pelo sistema de monitoramento por câmeras da Concessionária Ecocataratas, responsável pela cobertura dos 387 quilômetros ligando Foz do Iguaçu a Guarapuava.

Pelo menos 30% dos casos registrados nas cinco praças de pedágio em São Miguel do Iguaçu, Céu Azul, Cascavel, Laranjeiras do Sul e Candói têm envolvimento de contrabandistas carregados com mercadorias e cigarros procedentes do Paraguai e também de caminhoneiros que se negam a pagar para passar pelas cancelas. A informação é do departamento de atendimento ao usuário da Ecocataratas, com sede em Cascavel. As evasões ocorrem agora nas pistas manuais, por conta da fiscalização por câmeras nas pistas de rolagem automáticas.

Ano passado, nas praças de pedágio atendidas pela Ecocataratas, foram registradas 12.444 evasões de veículos, uma média de 34 veículos por dia. Somente no primeiro semestre deste ano, a concessionária flagrou 6.907 veículos furando o pedágio, com a média subindo para 38 furões/dia.

Sem autuação

A Ecocataratas é bem clara ao informar que o número de evasões não corresponde ao número de autuações por evasão emitidas pela Polícia Rodoviária Federal.Isso porque, entre o primeiro semestre de 2016 e o primeiro semestre de 2017, a Ecocataratas teve uma perda de receita de aproximadamente R$ 175 mil, o que significa 41,4% de redução dos períodos citados.

Sorria, você está sendo filmado!

De acordo com o gerente de atendimento ao usuário da Ecocataratas, Marcelo Belão, a evasão de pedágio é grande, mas chegou a ser muito maior há cerca de quatro anos. Na época, a concessionária precisou adotar ações para coibir e minimizar a prática. “Isso se deve à maior efetividade na fiscalização desse tipo de conduta, com o rigor na fiscalização e adoção de uma legislação mais rigorosa”, salientou.

Uma das resoluções criadas foi a 471, de dezembro de 2013, que versa sobre toda e qualquer condução inadequada passível de autuação por via remota: “Hoje, entre Foz do Iguaçu e Cascavel, há pequenos centros de controle, em que câmeras são disponibilizadas para fiscalização de vários pontos da rodovia e não somente nas praças de pedágio”.

As câmeras também flagram diariamente várias infrações, como retorno em local indevido e ultrapassagens pelo acostamento, condutas que colocam em risco a vida dos motoristas que trafegam diariamente pelo trecho.

Hoje existem 180 câmeras de monitoramento ao longo do trecho de Cascavel a Guarapuava. Desse total, 30 são destinadas para fiscalização e as demais estão espalhadas por setores administrativos e operacionais. “Há flagrantes de motoristas passando pelas cancelas a uma velocidade de 80 quilômetros por hora, colocando em risco a vida dos funcionários que prestam serviços nas praças”, conta ele, citando, inclusive, a ocorrência de mortes em praças do litoral sul e da Rodonorte.

Belão relata ainda que muitos caminhoneiros acostumados a furar o pedágio usam de má-fé e embolsam o dinheiro fornecido pela transportadora para pagar o pedágio.

Fonte: Portal da Cidade

Comentarios