Teste: Mercedes-Benz Actros 2651 6X4 – Bruto com privilégios

Mais potente Mercedes-Benz fabricado no Brasil, o extrapesado Actros 2651 6X4 agrega tecnologias herdadas dos carros de luxo

Auto Press
Tradicionalmente, as novas tecnologias automotivas são introduzidas nos carros das marcas de luxo, depois chegam aos “tops” de marcas generalistas até atingir aos automóveis mais populares. Só depois disso são adaptadas aos veículos comerciais – furgões, vans, ônibus e caminhões. Mas as inovações estão aparecendo cada vez mais rápido no segmento de transporte comercial de cargas e passageiros. No caso da Mercedes-Benz, marca especializada em automóveis de luxo e veículos comerciais, esse “atalho” na disseminação das tecnologias fica mais evidente. Um exemplo é o Actros 2651 6X4. Com seu motor diesel OM 460 LA de 6 cilindros em linha com 13 litros, de 244,7 kgfm e 510 cv, o extrapesado é o mais potente veículo da marca alemã produzido no Brasil – além de caminhões e ônibus que saem das fábricas de São Bernardo do Campo e Juiz de Fora, a Mercedes fabrica na cidade paulista de Iracemápolis o sedã Classe C e o utilitário esportivo GLA. Mas não é apenas na força do motor que o “top” da linha extrapesada apresentada em 2015 se destaca. Ele também incorpora tecnologias herdadas dos automóveis de luxo, que ainda são inéditas ou raras mesmo nos carros topo de linha de marcas generalistas.
Um exemplo são os dispositivos de segurança autônomos ou semiautônomos, que são as grandes tendências no segmento de carros de luxo e já estão disponíveis no Actros 2651. Um dos mais interessantes é o assistente ativo de frenagem ABA – Active Brake Assist. Funcionando acima de 60 km/h, ele identifica tanto os obstáculos em movimento à frente do caminhão, quanto os que estão parados na via. Quando detecta uma situação de risco, ele reduz a velocidade do caminhão por meio dos recursos de frenagem. Se há risco de colisão, o ABA ativa um alerta visual e sonoro. Posteriormente, faz uma leve intervenção nos freios e, se for necessário, realiza uma freada de emergência. Se o motorista aciona o freio, o sistema devolve a ele o controle total da frenagem. 
Também originário dos automóveis de luxo, o sistema de orientação de faixa de rolagem (Lane Guidance System) inclui uma câmera montada no para-brisa que detecta a posição do caminhão em relação às faixas de estrada, à direita e à esquerda. Um alerta sonoro avisa o motorista se o veículo se move para fora dessa via, aumentando a segurança de circulação. Já o sistema de controle de proximidade (Proximity Control System) é um sensor de radar, localizado no para-choque, que monitora o tráfego à frente. Com base na velocidade dos demais veículos e na distância em relação ao veículo da frente, a unidade de controle adequa a velocidade do caminhão às variações do tráfego, mantendo uma distância segura para diminuir o risco de eventuais colisões.
Outra tendência lançada há tempos nos automóveis mais requintados, mas já disseminada em veículos de todas as categorias, é a conectividade. No Actros, o novo pacote multimídia inclui sistema de som com conexão via Bluetooth para celulares e volante multifuncional com comandos para operar o rádio e o celular, além de navegar as operações do computador de bordo no painel, sem tirar as mãos do volante. Também estão disponíveis, como item série ou opcional, sintonizador de FM com RDS-EON, sintonizador AM para ondas curtas, médias e longas e pré-sintonias; CD player compatível com MP3 e WMA e com entradas auxiliares Mini-USB e Aux. E o tacógrafo digital agora é item de série para os caminhões Mercedes-Benz. 
Mas nem só com “gadgets” ligados à segurança ou à conectividade se seduz os consumidores de caminhões. Por isso, a Mercedes também investe em conforto. Os novos bancos dos modelos Actros, Axor e Atego foram apresentados em março desse ano e serão uma das novidades da marca na Fenatran 2017, o Salão Internacional do Transporte Rodoviário de Cargas, que será realizado em São Paulo, em outubro. Nas versões Standard e Conforto, os novos assentos se caracterizam pelo encosto com perfil mais envolvente, similar aos dos automóveis. Na versão Conforto, como bancos nos carros de luxo, diversas regulagens ajudam o motorista a encontrar a melhor posição para dirigir. Ambas as versões tiveram sua espessura de espuma aumentada em um centímetro em relação aos bancos anteriores e têm cintos de segurança integrados.
 
Primeiras impressões
Passeio da pesada
 
São Bernardo do Campo/SP – Os caminhões não são mais os mesmos. Apesar do tom aparentemente saudosista, a constatação é, na verdade, motivo de comemoração – principalmente para quem vive de transportar dezenas de toneladas pelas inseguras estradas brasileiras. A versão “top” 2651 6X4 do Actros, equipada com câmbio automatizado Powershift de 12 marchas, oferece tecnologias e confortos que fazem da tarefa de dirigir um caminhão extrapesado algo bem diferente do trabalho árduo que isso significava antigamente. No trecho percorrido entre a fábrica da Mercedes-Benz em São Bernardo do Campo e a Estrada Velha de Santos com um bi-trem carregado, com sete eixos e PBTC de 57 toneladas, foi possível perceber a efetiva diferença que as novidades fazem na vida dos motoristas. 
Além de menos poluentes, graças às normas impostas pelo Proconve P7, equivalente à regulamentação europeia Euro 5, os novos caminhões se tornaram absurdamente mais fáceis de dirigir, mais seguros e mais confortáveis que os modelos fabricados há uma década. No caso do Actros 2651 6X4, o Top Brake – sistema de freio motor que vai freando o caminhão gradativamente –, torna possível fazer longas viagens praticamente sem pisar no pedal do freio. Isso não apenas dá mais comodidade ao motorista, mas também aumenta a durabilidade de todos os componentes do sistema de frenagem. Porém é nas tecnologias de segurança que o Actros “top” busca se diferenciar da concorrência. Acima de 60 km/h, o assistente ativo de frenagem ABA identifica os obstáculos à frente do caminhão e, quando detecta uma situação de risco, reduz a velocidade. Se há risco de colisão, ativa um alerta visual e sonoro. Depois, faz uma leve intervenção nos freios e, se necessário, realiza uma frenagem de emergência. Quando pisa no freio, o motorista reassume automaticamente o controle. 
Ainda no aspecto de segurança, o sistema de orientação de faixa de rolagem, que detecta a posição do caminhão em relação às faixas de estrada, também se mostra bem funcional. Um alerta sonoro avisa o motorista quando o veículo sai da sua faixa – de acordo com o lado da faixa invadida, o alerta vem de um lado diferente da cabine. E o sistema de controle de proximidade cumpre bem a tarefa de monitorar o tráfego à frente e adaptar a velocidade às variações do tráfego, para manter distâncias seguras. O motorista define previamente a distância em que o sistema deve atuar – entre 15 e 150 metros – e suas indicações aparecem em um mostrador colorido no painel. 
No Actros 2651 6X4 avaliado, o interior da cabine Megaespace é alto e o piso é plano, o que facilita bastante a circulação a bordo – e ainda há uma cama atrás dos bancos para eventual repouso. O novo e aconchegante banco pneumático do motorista e o sistema de som com Bluetooth, que permite acesso viva-voz ao celular, reforçam o estilo “sala de estar” da cabine. O painel de instrumentos é bem resolvido visualmente e o volante multifuncional permite ao motorista operar, sem tirar as mãos do volante, o rádio e o celular, além de navegar no computador de bordo do painel. Tudo em um nível de interatividade que supera muitos automóveis. Felizmente, os caminhões não são mais os mesmos.

Comentarios