Pesquisa revela que demanda por transporte rodoviário de cargas no Brasil se aproxima dos níveis de março

A demanda por transportes rodoviários de cargas no Brasil voltou a melhorar na última semana, atingindo o maior nível desde o final de março e se aproximando dos resultados que antecederam uma queda brusca em função da pandemia de coronavírus, segundo pesquisa divulgada no dia 7, pelo Departamento de Custos Operacionais (DECOPE) da NTC&Logística, .

Segundo pesquisa realizada pela associação de empresas do setor, a demanda terminou a semana com variação negativa de 30,42% em relação aos níveis pré-pandemia, melhor resultado desde a semana de 24 a 29 de março –quando teve baixa de 26,9%.

A última semana de março havia antecedido uma forte derrocada que atingiu seu ápice em meados de abril, em meio às medidas de isolamento social para contenção da Covid-19, quando a demanda bateu variação negativa de 45,2%.

Na comparação com a semana anterior, o índice teve melhora de 3,5 pontos percentuais. Os resultados foram impulsionados por uma alta significativa na demanda por cargas fracionadas, que contêm pequenos volumes.

Além do resultado positivo para a demanda, o percentual de empresas do setor que apresentaram queda de faturamento durante a crise sanitária e econômica voltou a cair para 88%, ante 91% na semana anterior.

O levantamento é realizado pela NTC&Logística desde meados de março, quando as medidas restritivas começaram a ter efeito mais drástico na economia. Nesse período, o percentual de empresas com queda de faturamento chegou a atingir 94% em abril.

Na pesquisa apresentada pelo DECOPE para cargas fracionadas, houve uma forte melhora de pouco mais de 7,5 pontos na comparação semanal, atingindo variação negativa de 23,56% frente aos níveis pré-pandemia.

Já para cargas lotação, que ocupam toda a capacidade dos veículos e são utilizadas principalmente nas áreas industriais e agrícolas, a retração chegou a 34,34% na semana, ante 36,27% na semana anterior.

A NTC&Logística continua acompanhando de perto a situação do setor e manterá seu acompanhamento até que as medidas de isolamento social estejam finalizadas em sua totalidade nas principais regiões do país.

Confira a pesquisa 

Participe da pesquisa

Comentarios