CONTRAN fixa prazo para retirada de circulação de tanques com excesso de peso

O CONTRAN publicou a Resolução 627/2016, que passou a permitir aos tanques fabricados entre 1º de janeiro de 2000 e 31 de dezembro de 2007 a obtenção a qualquer tempo de Autorização Específica para circularem com excesso de peso bruto de até 5%.

No entanto, o preço pago por este “benefício” foi muito alto. Foi estabelecido um prazo máximo de vinte anos para a retirada de circulação destes tanques, conforme o seguinte cronograma:

Cronograma para retirada de circulação dos tanques com excesso de 5%

Ano de fabricação do tanque Data máxima de saída de circulação
2000 31 de dezembro de 2020
2001 31 de dezembro de 2021
2002 31 de dezembro de 2022
2003 31 de dezembro de 2023
2004 31 de dezembro de 2024
2005 31 de dezembro de 2025
2006 31 de dezembro de 2026
2007 31 de dezembro de 2027

A alegação é a da sempre: o trânsito de veículos com excesso de peso provoca danos exponenciais ao pavimento. Não se levou em conta que, no caso dos tanques, este dano é limitado pela própria capacidade cúbica do equipamento, o que não ocorre com os demais veículos de carga seca. Além do mais, estes tanques normalmente duram mais de vinte anos.

Suspensor de eixo

Apresentado na Fenatran, o caminhão trator modelo FH 6×4, com eixo suspensor da Volvo não estava previsto na legislação de trânsito, que exigia tração 6×4 para veículos com capacidade máxima de tração igual ou superior a 57 t.

Para legalizar o seu uso, o Conselho Nacional de Trânsito acaba de editar a Resolução 628/2016, que altera alguns dispositivos da Resolução 210/06, sobre limites de pesos e dimensões.

Foi modificado artigo 11, que passou a ter a seguinte redação:

“Art. 11 A partir de 1º de janeiro de 2011, as Combinações de Veículos de Carga (CVC), de 57 toneladas, serão dotadas obrigatoriamente de tração dupla 6×4 (seis por quatro), podendo suspender um dos eixos tratores somente quando a CVC estiver descarregada, passando a operar na configuração 4X2 (quatro por dois).

Recém lançado também na Europa, o sistema é indicado principalmente quando o motorista roda sem carga e em situações que exigem pouco esforço do caminhão.

Com o suspensor de eixo ligado, o segundo eixo motriz 6×4 passa à tração 4×2, onde as rodas são elevadas até 14 centímetros do chão, reduzindo desgaste mecânico e o consumo de diesel. Segundo a marca, o dispositivo gera uma economia de 4% em despesas com combustível.
O acionamento se dá por meio de dois botões localizados no painel de instrumentos. Em modo automático, por exemplo, o sistema impede que o modelo trafegue com carga e o eixo elevado. O 6×4 com eixo suspensor é mais indicado para receber aplicações de carroceria de madeira, tanques para cargas liquidas e graneleiros.

Fonte: Portal NTC

Comentarios