10 nomes de cidades brasileiras que você não imaginava que existissem

940x529_brazil-154557_1280

De norte a sul, animais, rios e datas especiais são lembrados em nomes de cidades, o que dá origem a verdadeiras pérolas.

Que o Brasil é um país enorme, todo mundo já sabe. Mas o que a maioria das pessoas não imaginam é a variedade de nomes que os municípios têm. De norte a sul, animais, rios e datas especiais são lembrados ao nomear cidades, o que dá origem a verdadeiras pérolas. Listamos 10 localidades  com nomes bem irreverentes espalhadas por esse Brasilzão.

Braço do Trombudo – Santa Catarina

nomes

3654 habitantes
Quem nasce em Braço do Trombudo é: braço trombudense

Não me venha pensando bobagem, amigão! A explicação é muito mais simples do que você imagina. O município leva esse nome devido o grande número de antas que viviam na região. Os imigrantes associavam a tromba do animal aos leitos dos rios, que formavam imensas trombas, e pelo fato de que os colonos nominavam os lugares baseados em fatos da natureza.

Coité de Nóia – Alagoas

nomes

10.992 habitantes
Quem nasce em Coité do Nóia é: coitenense

Ficou perdido? Vem com o tio, porque essa é bem fácil de entender. A origem do nome vem dos pioneiros do lugar, a família Nóia, proprietária das primeiras quatro casas que existiam no município em 1880. O nome coité vem do fruto que havia em abundância pelo grande número de árvores conhecidas como Cuieira, Cuia de Árvore ou Cabaça de Árvore.

Dormentes – Pernambuco

nomes

18.321 habitantes
Quem nasce em Dormentes é: dormentense

Acooorda, menino! Estamos na terceira e ainda não é hora de dormir! O nome Dormentes vem de uma lenda local. Conta-se que havia um cavalo que vivia em terras do atual distrito de Santa Cruz, que fugia para a beira de uma lagoa, onde permanecia deitado. O cavalo e a lagoa passaram a ser denominados ‘dormente’ e esse passou ao povoado.

Feliz Natal – Mato Grosso

nomes

12.782 habitantes
Quem nasce em Feliz Natal: feliz-natalense

É, parceiro, para algumas pessoas é Feliz Natal todo dia! O nome surgiu após um grupo de trabalhadores ficar ilhado por conta de um rio que transbordou. Às vésperas do Natal, os funcionários não passaram a data em branco e escreveram “Feliz Natal” em uma árvore. O nome acabou marcando o local, que ficou com a mesma denominação depois de formada a comunidade, que mais tarde veio a se transformar no município.

Passa e Fica – Rio Grande do Norte

nomes

12.655 habitantes
Quem nasce em Passa e Fica é: passa-fiquense

Achou estranho? Veja só essa história: no ano de 1929, num território desabitado, localizado à beira da estrada que liga Nova Cruz à Serra de São Bento, Daniel Laureano de Souza construiu sua casa e montou ali uma pequena bodega. O negócio tornou-se conhecido de todos, que ao passarem pela estrada eram atraídos e não queriam mais sair do lugar. Contam que um dos moradores da área, Antônio Luiz Jorge de Oliveira, para justificar o sucesso, dizia que o lugar era o passa e fica, e assim surgiu o nome Passa e Fica.

Pintópolis – Minas Gerais

nomes

7.540 habitantes
Quem nasce em Pintópolis é: pintopolense

Já passou por Pintópolis, parceiro? Sem malícia, hein! Pintópolis, na verdade, nasceu como uma homenagem ao fundador do município. Germano Pinto era dono de terras no local e começou a abrir espaço para construção de casas e comércios. A região se desenvolveu e, na hora de registrar a cidade, Pinto tinha poucas alternativas.

Varre-Sai – Rio de Janeiro

nomes

10.402 habitantes
Quem nasce em Varre-Sai é: varresaiense

“Diga aonde você vai, que eu vou varrendo! Vou varrendo, vou varrendo,vou varrendo, vou varrendo.” Você também pensou nesse clássico da música brasileira? Pois pode tirar o cavalinho da chuva, porque essa história não tem nenhuma ligação com a canção. O nome do município vem da história de D. Inácia, proprietária de um rancho. O local era ponto de parada dos rancheiros. A condição para que eles pernoitassem era que, após dormirem, limpassem o estábulo onde ficavam os cavalos e burros. Como, ao saírem, deixavam o local sujo, irritada ela dizia: “Varre e sai”.

Nova Iorque – Maranhão

nomes

4.592 habitantes
Quem nasce em Nova Iorque é: nova-iorquino

Quem disse que não temos nossa Nova Iorque também, né? Se quiser conhecer a ilustre cidade é só marcar uma viagem para o Maranhão. Muito antes da chegada do americano Eduardo Burnet à região, em 1871, já prosperava a Fazenda Sussuapara, que desapareceu com o assassinato do proprietário, vítima dos balaios. Eduardo Burnet construiu uma casa de telha, iniciando-se no ramo de comércio e em 1996, fundou a Vila Nova. Com o crescente progresso, decidiu alterar o nome para Nova Iorque, em homenagem à sua terra natal.

Quijingue – Bahia

nomes

28.655 habitantes
Quem nasce em Quijingue é: quijinguense

Dessa vez não foi o gingado baiano que deu o nome ao local. O crescimento de uma comunidade na fazenda Lagoa Grande deu origem a um povoado com o mesmo nome, integrado ao município de Tucano. Posteriormente, já quando da passagem de Antônio Conselheiro pela área, era conhecida por Triunfo. O nome do município é alterado para Quijingue,em 1971, uma palavra de origem indígena, que significa mata fechada, ou caatinga fechada.

Peixe-boi – Pará

nomes

7.874 habitantes
Quem nasce em Peixe-boi é: peixe-boiense

Pra terminar, essa nem precisa de muitas dicas, não é verdade? O nome do município vem do rio que banha a cidade e, também, ao fato de existir, nos rios e lagos da Amazônia, o peixe-boi, mamífero que se alimenta das ervas ribeirinhas e chega a medir 3 metros de comprimento, pesando até 2.000 quilos.

Nossos municípios guardam nomes bem diferentes e a maioria das pessoas não sabem devido o tamanho do Brasil. E você, parceiro? Conhece algumas cidades com nomes diferentes? Conta pra gente!!

Fonte: Portal das Estradas

Comentarios