Tecnologia vira aliada e aproxima familiares no Dia dos Pais

Tecnologia vira aliada e aproxima familiares no Dia dos Pais

Mais um ano de isolamento social e restrições, em uma das principais datas do calendário nacional, força comemoração à distância; entenda como surgiu a data no Brasil

Redação Chico da Boleia

Uma das datas mais prestigiadas no país – e que é sinônimo de vendas para o comércio –, o Dia dos Pais celebra o vínculo de amor incondicional entre pais e filhos; representa uma ligação que transcende laços sanguíneos, distâncias, diferenças ou perdas.

Após um ano e cinco meses desde o início da pior pandemia da história moderna, novamente, a maioria dos pais e filhos comemorarão esta ocasião virtualmente. Como a vacinação segue em ritmo lento na maior parte dos estados brasileiros e os casos de contágio por Covid-19 continuam em alta, ainda se faz necessário manter o distanciamento social e evitar aglomerações neste período.

Para aqueles que trabalham nas estradas e que já passam boa parte do tempo longe dos familiares, seguir os protocolos sanitários e evitar o contato pessoal com aqueles que amam, diante de uma data como o Dia dos Pais, torna tudo mais difícil.

Entretanto, a tecnologia tem ajudado a reduzir distâncias e, por meio de diferentes aplicativos, é possível manter o contato com a família e minimizar a saudade, até que todos possam se reencontrar finalmente!

Mas você sabia como surgiu o Dia dos Pais? Ou o porquê desta data ser comemorada em agosto no Brasil?

Para entender melhor, é preciso voltar no tempo e lembrar que, inspirada no Dia das Mães, a tradição de comemorar o Dia dos Pais surgiu nos Estados Unidos, em 1910, quando uma jovem chamada Sonora Louis Dodd decidiu homenagear seu pai, William Jackson Smart, um veterano da Guerra Civil que, após a morte da esposa, criou seus seis filhos sozinho.

Na época, pensando em toda dedicação de seu pai a família, Sonora conseguiu mobilizar os moradores da cidade onde vivia – Spokane, em Washington – incentivando-os a comemorar a data especial, em 19 de junho, escolhida por ela por ser o dia do nascimento do seu pai. Com o passar do tempo, a iniciativa passou a ser adotada por outros estados, mas sem tornar-se parte do calendário nacional. Até que em 1972, o então presidente norte-americano Richard Nixon, declarou o terceiro domingo de junho como o dia oficial dos pais, servindo de modelo para vários países ocidentais.

E no Brasil? Bom, segundo historiadores, o motivo para o surgimento do Dia dos Pais por aqui foi exclusivamente comercial. Sim, quem achava que havia algum fato marcante para a escolha da data se enganou. A ideia para o surgimento da “comemoração” tinha como objetivo aumentar as vendas do comércio, assim como acontecia no Dia das Mães.

Em 1950, o publicitário Sylvio Bherinh elaborou uma campanha para atrair anunciantes para o jornal no qual trabalhava, resultando na celebração da data em 16 de agosto – ou seja, no segundo domingo do mês. A ideia rendeu a Sylvio o prêmio de publicitário do ano.

Especialistas também ressaltam que a data foi utilizada pelos católicos para celebrar o dia de São Joaquim que, segundo a Bíblia, era pai de Maria e avô de Jesus Cristo, e considerado o patriarca da família. Entretanto, o santo é celebrado, atualmente, em 26 de julho, ao lado de sua mulher, Santa Ana, no dia dos avós.

O Dia dos Pais somente se firmou no calendário nacional em 1970, duas décadas após a primeira comemoração da data. E segue como uma das principais datas para o comércio.

*Com informações da BBC News Brasil e Mundo Educação

Comentarios