São Paulo reduz fiscalização de excesso de peso em rodovias

Nos três últimos anos, 51 postos de pesagem foram fechados em rodovias estaduais de São Paulo. O número de balanças fixas ou móveis caiu de 232 em 2012 para 181 este ano, uma redução de 22%, segundo dados do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) da Secretaria de Logística e Transportes do Estado. A quantidade de veículos fiscalizados teve queda de 16.818.510 para 13.014.712 no mesmo período – menos 22,6%.

Já o número de multas aplicadas por excesso de peso aumentou 8%, de 395.503 para 427.285 no período considerado, o que indica que um maior número de motoristas pode estar rodando com cargas excessivas. O excesso de peso é uma das principais causas de acidentes envolvendo caminhões, segundo a organização SOS Estradas. De acordo com o DER, a fiscalização é feita de forma ininterrupta nos 42 postos fixos e alternada em 133 bases volantes.

Os postos estão distribuídos por rodovias operadas por concessionárias ou administradas pelo DER. Motoristas de caminhão relatam que a maioria dos postos de pesagem está inoperante. Na quinta-feira, 23, o motorista Eliseu da Silva Ramos, de 31 anos, carregou em Foz do Iguaçu, no Paraná, e entrou em São Paulo por Ourinhos, percorrendo 310 km de vias estaduais. “Parei só na balança da BR (rodovia federal), na divisa com o Paraná. Na Castelo, todas estavam fechadas, inclusive a do km 90, que antes era parada obrigatória.” Ele conta que alguns colegas, que seguiam pela Raposo Tavares para fugir das balanças, agora aproveitam a “folga” na fiscalização.

O caminhoneiro Renato José dos Santos, de 48 anos, carregou em Limeira e, até Sorocaba, pesou apenas na balança do km 64, próximo de Viracopos, em Campinas. De Sorocaba a Ribeirão Preto, não fez uma única parada. “As móveis deram uma trégua”, comentou. Dos dez postos de pesagem da SP-75 entre Sorocaba e Campinas, apenas o de Viracopos funcionava nesta quinta-feira (23).

O posto fixo do km 17,9, em Itu, que deveria funcionar 24 horas, está fechado há três semanas para manutenção. Na base móvel do km 21, sentido sul, o motorista Marcos Ignácio, de 41 anos, parou apenas para ajeitar a carga de tijolos cerâmicos. “Carrego em Itu e levo para Osasco todo dia e, nesta semana, só parei numa balança na Castelo”, disse.

O DER informou que a operação das balanças na Castelo é suspensa apenas nos finais de semana, pois o volume de tráfego é baixo, já que a passagem de caminhões fica proibida nos domingos. Ainda segundo o DER, a operação pode ser suspensa quando não existe a presença do agente da autoridade, apto a aplicar multas, ou por falta de certificação do equipamento pelo Instituto de Pesos e Medidas (Ipem).

FONTE: Estado de Minas  / Blog Caminhões e Carretas

Comentarios