Relatório aponta crescimento de 64% no volume de fretes

O setor do agronegócio foi o que apresentou maior crescimento no volume total de fretes nos últimos três meses. (Foto: reprodução)

Relatório aponta crescimento de 64% no volume de fretes

Meses de maio e junho apresentaram resultados positivos para o setor, segundo dados da FreteBras

O volume de fretes aumentou 64% nos meses de maio e junho deste ano, segundo dados do relatório inédito elaborado pela FreteBras, maior plataforma online transporte de cargas da América do Sul.

De acordo com o documento, houve 31,1% de crescimento no segmento entre maio e junho. Sendo que, ao analisarem os principais setores individualmente, o aumento foi de: 23% no setor de agronegócio, 32% da construção e 35% em industrializados no mesmo período. Resultando no acumulado de 64% no volume de fretes para o período (já que entre abril e maio o registro foi de 32,9%).

Devido a pandemia, o mês de abril foi o que mais registrou queda (-43%) no mercado de logística e transportes, quando comparado a março. Para Bruno Hacad, diretor de Operações da FreteBras, as informações do relatório representam a retomada do setor, fortalecendo sua importância para a economia.

Índices por segmento

O documento aponta que o setor do agronegócio foi o que apresentou maior crescimento no volume total de fretes nos últimos três meses. Segundo Hacad, isso aconteceu pelo fato de o segmento ser essencial para o Brasil, “já que há uma grande dependência da produção e fornecimento de alimentos e insumos, além da grande representatividade do setor para o mercado externo”.

– Quando analisamos nossos dados por segmento, destacamos no agro o crescimento das categorias de fertilizantes (102%), soja (124%) e milho (143%), isso comparando números de abril em relação a junho. O agronegócio contribui com quase 25% do PIB brasileiro. Só os grãos produzidos aqui alimentam cerca de 1,2 bilhão de pessoas em todo mundo, segundo a Embrapa – detalha o diretor.

Já os números de abril, comparados a julho, na construção, revelam o crescimento nos fretes de cimento (51%), telha (93%) e pisos (199%). E, nos industrializados, destacam-se: alimentício (67%), siderúrgicos (150%) e máquinas/equipamentos (68%).

Comentarios