Proposta aponta passos para reduzir o preço dos combustíveis e GLP

A ideia proposta pelas instituições é que a estatal pratique um preço real, com base na soma dos custos de produção ao lucro da empresa, com foco nos custos de extração e refino. (Foto: reprodução)

Proposta aponta passos para reduzir o preço dos combustíveis e GLP

Documento revela que três derivados produzidos pela Petrobras poderiam ser revendidos pelos seguintes valores: gasolina R$ 3,60, diesel a R$ 2,90 e GLP R$ 60

Redação Chico da Boleia

Uma análise feita pelo Instituto de Estudos Políticos e Sociais (Ibep) e pela Fundação Nacional dos Petroleiros (FNP) propõe alguns passos a serem tomados para a redução do preço da gasolina, diesel e gás de cozinha.

Após os aumentos consecutivos dos preços dos combustíveis praticados pela estatal, o documento explica de que forma a redução pode ser realizada sem afetar os custos para a empresa. Mas o que seria um preço justo e de que forma a Petrobras determina tais valores?

– A lógica do Preço de Paridade de Importação (PPI) não leva em consideração os custos de produção e a aplicação nesta estrutura de custos uma taxa de lucro baseada no retorno deste capital despendido e na oferta e na demanda do mercado em que atua. O preço é baseado em mercados virtuais, sempre totalmente descolados das realidades locais. O Brasil é um caso exemplar, mesmo produzindo quase todo o seu petróleo e quase todos os produtos derivados que consome, passa a se submeter a essa lógica virtual internacional. Em síntese, se encarece os produtos internos – onerando o bolso dos brasileiros, com um argumento totalmente subjetivo de que lá fora está assim, logo aqui também tem que estar, desconsiderando todo capital investido ao longo de mais de seis décadas, que permitiram a Petrobras ter custos de produção mais competitivos – aponta o documento.

A ideia proposta pelas instituições é que a estatal pratique um preço real, com base na soma dos custos de produção ao lucro da empresa, com foco nos custos de extração e refino.

Cálculos realizados com base em dados da própria Petrobras revelam que os gastos com extração e refino estão diminuindo o que, tecnicamente, seria uma justificativa para reduzir os valores dos combustíveis, se a empresa não praticasse a política de Preço de Paridade de Importação (PPI).

Mas quanto deveria custar a gasolina, o diesel e o gás?

De acordo com a análise feita pelo Ibep e pela FNP (cujo estudo completo pode ser visto aqui), mesmo a Petrobras levando em consideração todos os gastos para extração e refino do petróleo e outros (como tributos, revendas, distribuição, etc), se não praticasse o PPI, os três derivados poderiam ser revendidos pelos seguintes valores: gasolina R$ 3,60, diesel a R$ 2,90 e GLP R$ 60.

Comentarios