Greve do setor de transporte rodoviário de cargas registra manifestações em 15 estados

Manifestantes demandam maior fiscalização nas estradas, revisão do piso mínimo do frete e a inclusão dos caminhoneiros em uma aposentaria. (Foto: reprodução/Facebook)

Greve do setor de transporte rodoviário de cargas registra manifestações em 15 estados

Motoristas protestam contra o aumento constante no preço do diesel; movimento registra baixa adesão entre os trabalhadores

Redação Chico da Boleia

A nova paralisação nacional do setor de transporte rodoviário de cargas começou neste domingo (25), data na qual foi comemorado o dia do motorista.

Iniciado pelo Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC), que havia anunciado a greve ainda em junho e convocado os trabalhadores, o movimento gerou debate entre os principais representantes do segmento, registrando baixa adesão entre caminhoneiros (as).

Entretanto, segundo a entidade, foram registradas manifestações em 15 estados no domingo (25) e no início desta segunda-feira (26), incluindo Bahia, Rio Grande do Sul, Paraná e Ceará. O objetivo da paralisação é protestar contra os aumentos consecutivos do preço do diesel e também contra a política de preços aplicada pela Petrobras (PPI), para reajustar os valores dos combustíveis com base no mercado internacional (na cotação do dólar).

Além disso, os trabalhadores também demandam maior fiscalização nas estradas, a revisão do piso mínimo do frete e a inclusão dos caminhoneiros em uma aposentaria especial, a partir de 25 anos de trabalho, por envolver atividades insalubres.

Segundo informações do Ministério da Infraestrutura e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), na manhã de hoje (26), todas as rodovias federais, concedidas ou sob administração do DNIT, encontram-se com o livre fluxo de veículos.

– Durante a madrugada e início da manhã, a PRF reportou ocorrências envolvendo aglomerações às margens de rodovias e algumas tentativas de retenção em seis estados. Todas foram debeladas com a chegada de efetivos da PRF ou de autoridades locais. O volume de ocorrências é três vezes menor do que o registrado no mesmo período do dia 01/02/21, data da última tentativa de mobilização – afirmou o MInfra.

Ainda de acordo com a pasta, na entrada do Porto de Santos cerca de 20 manifestantes portando faixas realizam protesto pacífico. O trânsito permanece liberado com acompanhamento de autoridades locais e a operação dos terminais segue normalmente.

A PRF segue seus trabalhos normalmente para garantir a mobilidade, conforme rotina diária.

Nas redes sociais das entidades, sindicatos e grupos que aderiram a greve, há vídeos e outros registros das manifestações em diferentes estados.

A redação do Chico da Boleia entrou em contato com o CNTRC, mas até o fechamento desta publicação não recebeu uma resposta.

Em breve mais informações.

Comentarios