DNIT lança sistema de Supervisão Rodoviária Avançada – SUPRA

Ferramenta dá mais agilidade à atualização das informações e à gestão de obras, garantindo maior transparência para a sociedade

 road-work-1148205_640

É como se fosse o “Facebook” de cada obra. Assim comparou o diretor de Infraestrutura Rodoviária do DNIT, Luiz Antônio Garcia, ao anunciar, nesta quinta-feira (10/11), o SUPRA – Sistema de Supervisão Rodoviária Avançada, durante a abertura do workshop para apresentar a ferramenta e capacitar os fiscais das obras em andamento. O instrumento de gestão em plataforma web permitirá que cada atualização de dados de empreendimentos, dos cerca de 230 contratos atuais, seja compartilhada em tempo real entre as empresas supervisoras, gerenciadoras, superintendências regionais e coordenações de todas as diretorias do DNIT. Os dados também serão automaticamente atualizados em uma página do portal do órgão, podendo ser, assim, consultados por qualquer cidadão.

Ao abrir o evento, o diretor Geral do DNIT, Valter Casimiro Silveira, ressaltou o empenho de toda a autarquia em garantir cada vez mais transparência ao trabalho realizado. Segundo ele, todas as Superintendências Regionais e Unidades Locais estão unidas para fortalecer seus mecanismos de execução nas obras e de gestão na Sede, com a elaboração de sistemas como o SUPRA, por exemplo. A ferramenta representará um verdadeiro portal de transparência das ações de toda a Diretoria de Infraestrutura Rodoviária (DIR). É o primeiro passo para que se possa estender a inovação a todas as diretorias, de modo que de todo o trabalho do DNIT possa ser acompanhado pela sociedade. “Nós queremos uma casa respeitada, eficiente, que dê a resposta que o cidadão exige de todos nós, ou seja, rodovias, ferrovias e hidrovias funcionando plenamente”, destacou.

O diretor Executivo do DNIT, Halpher Luiggi, ressaltou a importância das novas tecnologias, que também resultam em aumento do controle social, e elogiou a criação do SUPRA. Ele ainda destacou a necessidade de aprimorar os instrumentos de governança, pois, em todos os níveis, os servidores são, em algum momento, responsáveis pela tomada de decisões. “Estamos aperfeiçoando estes instrumentos para alcançarmos o amadurecimento da nossa gestão e prestarmos aquilo que podemos chamar de serviço adequado à nossa população, em respeito a cada real pago pelos serviços prestados. E, para isso, a ferramenta SUPRA é muito apropriada”, concluiu.

“Facebook” de cada obra

Ao destacar a inovação representada pelo SUPRA, o diretor de Infraestrutura Rodoviária, Luiz Antônio Garcia, explicou que o sistema deverá refinar o trabalho desempenhado em todo o DNIT, desde o chefe da Unidade Local, dos fiscais do órgão, superintendências regionais, chegando a todos os níveis de coordenação, diretoria e Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Ele ressaltou os benefícios à gestão com a celeridade de inserção dos relatos de fiscalização do DNIT no sistema. “Todo o trabalho das supervisoras será feito nesse portal, de uma maneira muito simplificada, quase em tempo real. É como se fosse o perfil do Facebook de cada obra do DNIT, com informações, datas, imagens e detalhes”, comparou.

Segundo o diretor, o SUPRA é aplicável para qualquer tipo de contrato e modalidade futuro. “Seja de manutenção rodoviária, seja de dragagem de hidrovias, seja de construção de contornos ferroviários, ou seja, todo tipo de obra de infraestrutura”, explicou. Para ele, porém, a integração e o comprometimento dos servidores e prestadores de serviços ainda continuam sendo indispensáveis para que uma ferramenta de gestão ofereça os frutos esperados. Além do SUPRA, Luiz Antônio Garcia também relatou mais ações já implementadas, como as Salas de Situação de cada diretoria, a conclusão dos relatórios gerenciais dos contratos existentes ao longo de toda a malha rodoviária sob a jurisdição do DNIT, a reedição do PROARTE (Programa de Reabilitação de Obras de Arte Especiais), entre outras.

Estiveram ainda na solenidade de abertura do evento o diretor de Planejamento e Pesquisa, André Martins; o diretor de Infraestrutura Ferroviária, Charles Magno Beniz; o procurador geral do DNIT, Júlio César Barbosa Melo; o representante do diretor presidente da EPL, Alexandre Maestrali, superintendentes regionais; coordenadores; fiscais das empresas supervisoras; técnicos e servidores públicos federais. Também se pronunciaram o coordenador Geral de Construção Rodoviária (CGCONT) da DIR, José Carlos Duarte, o coordenador de Acompanhamento de Obras do DNIT, Alisson Nascimento, o consultor Jéromy Souto – responsável pela aplicação da capacitação aos fiscais durante o workshop – e o engenheiro Bruno Vendramini, do Escritório de Empreendimentos.

Mobilidade, praticidade e transparência

A criação do SUPRA segue a Instrução de Serviço 3/2016, que padroniza os relatórios produzidos pelas supervisoras e gerenciadoras de obras de construção realizadas pelo DNIT. Ela determina quais informações básicas das obras devem ser compartilhadas a fim de otimizar a gestão dos empreendimentos, levando em conta os critérios de custo, prazo e qualidade.

Dentre as muitas vantagens, o sistema é compatível com celulares e tablets, permite o acesso simultâneo de múltiplos usuários em qualquer local com acesso à internet. Também salva os dados em um único banco de dados, permitindo a integração em todas as camadas de gerenciamento do DNIT.

O SUPRA é de uso obrigatório por parte das empresas supervisoras, ou seja, sem o envio do relatório de fiscalização por meio do sistema, não há a geração do recibo de entrega e comprovação do trabalho realizado para justificar o pagamento pelo serviço. Os relatórios e painéis gerenciais alimentam uma página atualizada automaticamente que mostra, a qualquer cidadão, as informações de cada empreendimento. O endereço para consulta é http://servicos.dnit.gov.br/portalCidadao.

Fonte: Portal NTC

Comentarios