Dnit assume manutenção do pavimento e da sinalização da BR-153

BR-153 Jaragua – Goias

Governo declarou caducidade da concessão do trecho entre Goiás e Tocantins; novo leilão será avaliado pelo Conselho do PPI

O Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) voltou a ser o responsável pela manutenção do pavimento e da sinalização da BR-153, no trecho de 624,8 quilômetros entre Goiás e Tocantins que estavam sob administração da concessionária Galvão 153. O governo federal declarou a caducidade da concessão em razão do descumprimento de obrigações previstas no contrato por parte da empresa.

O Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil informou que a rodovia deverá ser incluída para avaliação do Conselho do PPI (Programa de Parcerias de Investimentos), a fim de que sejam realizados estudos, audiências e um novo leilão. Ainda segundo a pasta, cerca de R$ 70 milhões devem ser investidos na manutenção da rodovia, para dar condições satisfatórias de trafegabilidade. A previsão do Dnit é que as primeiras equipes para realização dos serviços sejam mobilizadas dentro de 15 a 20 dias.

A rodovia foi leiloada em 2014, no governo Dilma Rousseff, e arrematada pela Galvão Engenharia. O contrato de concessão foi assinado em setembro de 2014. Mas a empresa não conseguiu executar os investimentos previstos, que deveriam chegar a R$ 4,3 bilhões em 30 anos, sendo R$ 2,7 bilhões (62,8%) nos primeiros cinco anos, dos quais R$ 1,5 bilhão em obras de duplicação.

O trecho faz parte da ligação de Brasília (DF) com Palmas (TO) e Belém (PA), por onde circulam produtos da Zona Franca de Manaus com destino às regiões Sul e Sudeste. Ele passa por 23 municípios: Anápolis, Campinorte, Ceres, Estrela do Norte, Hidrolina, Jaraguá, Mara Rosa, Nova Glória, Pirenópolis, Porangatu, Rialma, Rianápolis, Santa Tereza de Goiás, São Francisco de Goiás, São Luiz do Norte e Uruaçu, no Estado de Goiás; e Aliança do Tocantins, Alvorada, Cariri do Tocantins, Dueré, Figueirópolis, Gurupi e Talismã, em Tocantins.

Com informações do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil

Comentarios