Shadow

Brasileiros desaprovam o governo de Jair Bolsonaro, segundo pesquisa de opinião da CNT

Os dados ainda revelam os principais defeitos e qualidade do representante do país, de acordo com a opinião dos brasileiros. (Foto: reprodução)

Brasileiros desaprovam o governo de Jair Bolsonaro, segundo pesquisa de opinião da CNT

Em contrapartida, participantes acreditam que o governo federal tem atuado positivamente no combate a Covid-19

Redação Chico da Boleia

A Confederação Nacional do Transporte, em parceria com o Instituto MDA, divulgou o resultado da 148ª Pesquisa CNT de Opinião. Entre os dias 18 e 20 de fevereiro, foi realizado um levantamento sobre a atuação do governo e pessoal do presidente Jair Bolsonaro.

Os dados ainda revelam os principais defeitos e qualidade do representante do país, de acordo com a opinião dos brasileiros.

Segundo a entidade, foram realizadas 2.002 entrevistas presenciais, em 137 municípios de 25 Unidades da Federação. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

– Avaliação do Governo

A pesquisa revela que 35,5% dos participantes avaliam como ruim/péssimo o governo do presidente Jair Bolsonaro. Já 32,9% disseram que sua atuação é ótima/boa; 30,2% avaliam como regular; 1,4% não souberam opinar ou não responderam.

O desempenho pessoal do presidente recebeu 51,4% de desaprovação; 43,5% de aprovação; e 5,1% dos votantes não souberam opinar ou não responderam.

– Presidente Jair Bolsonaro

Os índices da pesquisa revelam que, de acordo com a avaliação dos brasileiros, as principais qualidades do presidente Jair Bolsonaro são: sincero (29,3%), honesto (11,3%), inteligente (8,4%), sempre busca o bem para o país (5,0%), justo (4,2%), trabalhador (3,7%), cuida dos pobres (1,3%). Para 33,3%, não tem nenhuma qualidade.

Já os principais defeitos são: mal-educado (20,1%), despreparado (17,6%), autoritário (16,6%), exagera na briga com a imprensa (16,0%), agressivo (10,9%), está preocupado apenas com a reeleição (3,2%), desonesto (3,1%). Para 9,6%, não tem nenhum defeito.

– Pandemia da Covid-19 (Coronavírus)

A pesquisa ainda destaca a atuação do governo federal em relação ao combate da Covid-19, sendo que 54,3% dos entrevistados aprovaram as medidas adotadas e 42% desaprovaram.

Com relação ao Ministério da Saúde, a pesquisa revelou que 36,5% dos brasileiros consideram sua atuação no combate a pandemia como regular; 30,9% boa; 11,6% ruim; 11,3% péssima; e 6,8% ótima.

Sobre o grau de responsabilidade do presidente Jair Bolsonaro em relação ao número de mortes em decorrência da Covid-19, 49,7% afirmam que ele não tem culpa nenhuma; 36,4% consideram que ele é um dos culpados, mas não o principal; e, para 11,5%, ele é o principal culpado.

Ainda de acordo com a pesquisa, para 37,5% dos entrevistados quem está fazendo mais pelo Brasil no combate à pandemia da Covid-19 são as instituições de pesquisa (Butantan/Fiocruz), governadores (16,8%), presidente Jair Bolsonaro (16,6%) Ministério da Saúde (13,5%), prefeitos (4,9%) e outro (0,8%).

– Vacinação

Os entrevistados também se manifestaram sobre a vacinação e 62,8% afirmam que serão imunizados quando chegar sua vez, independente do fabricante da vacina. Já 16,7% declaram que não se vacinarão; 9,5% dizem que se imunizarão somente se for a Coronavac/Butantan; 3,8% se for a AstraZeneca/Oxford/Fiocruz; e 3,2% já foram vacinados.

– Economia

Um dos temas mais debatidos nos últimos meses, a economia também foi destaque na pesquisa da CNT. De acordo com os índices, 70,2% dos brasileiros afiram que o auxílio emergencial deveria ser retomado com o mesmo valor; 16,6% consideram que o benefício deveria ser retomado em 2021 com valor mais baixo; para 12,2%, o auxílio não deveria continuar em 2021.

Os entrevistados ainda avaliaram sobre a retomada da economia: 36,8% acham que somente em 2022. Para 34,5%, apenas de 2023 em diante; 10,5% acreditam que será no 2º Semestre de 2021; e 3,4% acham que será no 1º Semestre de 2021. Para 5,0%, não será retomada.

O resultado completo da pesquisa você confere aqui.

*Com informações da Agência CNT Transporte Atual

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Resolva o problema * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.