ANP: Preço da gasolina e diesel aumentam em alguns estados

De acordo com a ANP, o combustível pode custar R$ 7,18 no município de Bage (RS). (Foto: reprodução/FGV)

ANP: Preço da gasolina e diesel aumentam em alguns estados

Reajustes nos valores dos combustíveis prejudicam consumidores e pressionam inflamação

Redação Chico da Boleia

Segundo dados do levantamento mais recente da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), combustíveis como a gasolina e o óleo diesel continuam sofrendo reajustes e bateram recorde de preço em alguns estados.

A pesquisa revela que o valor da gasolina nos postos no Rio Grande do Sul ultrapassou os do Acre – que apresentavam os maiores preços desde o início do ano. De acordo com a ANP, o combustível pode custar R$ 7,18 no município de Bage (RS). Já no Acre, o valor chega a R$ 7,13, em Cruzeiro do Sul.

Outro estado que também registrou aumento na gasolina foi o Rio de Janeiro – R$ 7,05, na cidade de Barra Mansa. E nas outras unidades federativas, o combustível ultrapassa os R$ 6.

Com relação ao óleo diesel, o Acre deixa de ser o estado a cobrar mais caro pelo combustível (R$ 6,18) e quem passa a ocupar o lugar é o Pará. Nos postos da região, o diesel pode ultrapassar os R$ 6,35. Já nos outros estados, o preço do combustível varia entre R$ 5 e R$ 6.

Os aumentos são registrados em um momento delicado para a economia brasileira, após reajuste no Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e nova projeção para a inflação no segundo semestre de 2021, atingindo 7,1%, pressionados diretamente pelo acréscimo no valor da gasolina e também da energia elétrica.

Além disso, os constantes reajustes da gasolina estão impactando o setor de trabalho, forçando, por exemplo, motoristas de aplicativos de transporte de passageiros a deixarem as empresas, por não conseguirem pagar pelo combustível.

Os consumidores diretos também são afetados, pagando mais caro pelos alimentos nos supermercados.

Vale ressaltar que os valores dos combustíveis são regulados pela política praticada pela Petrobras, de Preço de Paridade de Importação (PPI), que tem como base o câmbio do dólar. Em recente live, o Chico da Boleia entrevistou um especialista sobre o assunto. Para saber mais, clique aqui.

Comentarios