Volvo deixa de produzir 250 caminhões em Curitiba

Após aceitar PLR de R$ 30 mil, trabalhadores paralisam fábrica para definir novos detalhes

Fábrica da Volvo em Curitiba inicia segundo turno na produção

Os 3 mil funcionários da fábrica da Volvo em Curitiba (PR) voltaram a paralisar suas atividades na terça-feira, 14, para redefinir detalhes da negociação entre o sindicato dos metalúrgicos e a montadora. Por meio de sua assessoria de imprensa, a Volvo informa que deixaram de ser produzidos 250 caminhões em dois dias de paralisação, sendo um turno de sexta-feira, 10, um turno de segunda-feira, 13, e a terça-feira, 14. Em dias normais de produção, a montadora produz 117 caminhões em dois turnos e 9 chassis de ônibus em um turno.
As negociações em andamento envolvem definições sobre terceirização e hora-extra. As propostas sobre Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e de aumento salarial foram aprovadas na segunda-feira, 13, pelos trabalhadores de todos os turnos da fábrica. Os metalúrgicos aprovaram PLR no valor de R$ 30 mil, 20% acima do valor de PLR definido no ano passado, mais aumento real de salário de 3,5% a partir da data base da categoria, em setembro. A proposta aprovada inclui ainda aumento do vale mercado, de R$ 239 para R$ 350 por mês .

Uma nova assembleia está marcada para a manhã de quarta-feira, 15, antes do início das operações do primeiro turno para votação das novas propostas. Segundo a Volvo, não há previsão de término das negociações.

Fonte

Comentarios