Tecnologia no transporte público, Curitiba está com projeto de um sistema ecológico e conectado

A Cesbe, em consórcio com a Nórdica Volvo e a Associação Metrocard, acaba de receber aprovação do projeto proposto para a implantação da rede de transporte limpo para a cidade de Curitiba. Batizada de CIVI – City Vehicles Interconnected, a proposta foi apresentada por meio da PMI – Proposição de Manifestação de Interesse, lançada em maio de 2016 pelo poder público municipal.

O desenvolvimento do projeto foi liderado pela Volvo e, quando implementado, requalificará Curitiba como exemplo de cidade sustentável. “O aspecto que nos atraiu foi a tecnologia proposta pela Volvo para esse tipo de projeto. O CIVI é um modelo que não tem paralelo no mundo, além de atender as normas da Euro 6 de restrição à poluição, com ônibus híbridos, incorpora conectividade, permitindo prever com exatidão o horário de chegada do ônibus”, explica Carlos de Loyola e Silva, presidente do Conselho de Administração da Cesbe.



O sistema abrange 5 trechos que conectam Curitiba e região Metropolitana. “A nossa ambição é que as obras sejam executadas com bom planejamento e alto padrão de qualidade que a cidade merece”, diz Loyola. Obras dessa natureza costumam trazer grandes transtornos no trânsito (no total são cinco corredores e 106 quilômetros em toda a cidade), mas segundo ele, com um bom planejamento de engenharia é possível minimizá-los.

O projeto prevê 300 novas estações, todas conectadas por fibra ótica, com monitoramentos por câmeras e informações em tempo real, por meio de painéis, internet e aplicativos para celulares. Tudo isso com possibilidade de baixo custo para o cidadão. “Buscamos oferecer uma solução econômica para Curitiba, com vantagens muito grandes para o usuário, unindo funcionalidade e conforto”, afirma Loyola. O projeto aprovado agora deve entrar em licitação, ainda sem data definida.

Comentarios