Tecnologia na Boleia: quando teremos acesso a ela?

Foto: Mercedes Benz

Há tempos o caminhoneiro vem se deparando com inúmeros avanços tecnológicos que podem facilitar o seu dia a dia. Aplicativos para celulares, programas de computador, softwares de direção defensiva. São mil e uma novidades que chegaram ao mercado de caminhões nos últimos anos para melhorar a qualidade de vida dos caminhoneiros e dar mais eficiência aos carregamentos e descargas.

Mas, será que realmente temos acesso a essa maré tecnológica?

A realidade da profissão mostra que, infelizmente, nós trabalhadores da estrada ainda estamos muito defasados em termos de tecnologia. Primeiro porque mal temos condições de renovar nossa frota ou trocar nosso caminhão. Segundo porque não possuímos em nossa profissão, incentivos que nos permitam saber utilizar e aplicar as novas tecnologias.

Em muitas empresas de transporte nacionais e internacionais de grande porte, os caminhoneiros contratados recebem cursos e workshops para aprenderem a utilizar as novas tecnologias incorporadas aos caminhões, como rastreadores, aplicativos e computadores de bordo. O caminhoneiro autônomo, no entanto, não conta com a mesma sorte.

O baixo valor do frete é o inimigo número um que contribui para que esse avanço tecnológico não seja democratizado na nossa categoria. Primeiro porque ele não permite a renovação da frota e, consequentemente, não permite que o caminhoneiro tenha acesso a novos modelos de caminhão nos quais estão implantados técnicas e equipamentos avançados. Também não permite a compra de outros itens que podem facilitar a direção, como computadores, rádios, rastreadores, etc.

Se tivéssemos acesso a todas as tecnologias que nos apresentam, a escolha de pontos de parada e descanso, bem como o melhor horário para carga/descarga, a visualização das condições de tráfego e da situação mecânica do caminhão seria possível e facilitada. Seria o mundo perfeito para os caminhoneiros e também para toda a sociedade. Digo isso porque a democratização da tecnologia permite que o trabalho seja mais bem executado e o transporte otimizado em todas as suas pontas, desde o carregamento, até a descarga em um porto, armazém, cidade ou qualquer outro lugar. Além disso, tecnologia também é sinônimo de prevenção de acidentes e maior segurança nas estradas.

Enquanto caminhoneiros e transportadores não tiverem acesso a essas novas tecnologias, a chuva de novos avanços só relevará a desigualdade que se perpetua na nossa categoria. As transformações tem que acontecer em todos os sentidos, inclusive naquele que diz respeito ao nosso crescimento profissional, cultural e educacional. A tecnologia pode ser a ferramenta que falta para melhoria e o desenvolvimento da nossa profissão.

Abraço,

Chapa

Gostou ou não gostou? Deixe um comentário!

Comentarios