Mercedes-Benz lança edição limitada da Sprinter

Como marco de referência à liderança no segmento no qual a Mercedes-Benz chama de large vans, a fabricante lançou a Golden Edition, edição de produção limitada a 100 unidades da Sprinter CDI 415 para quinze passageiros, o carro chefe das vendas da empresa na categoria de vans.

Diferenciado no portfólio em virtude do pacote de equipamentos, o utilitário traz itens como volante multifuncional, assistente de partida em rampa, piloto automático com limitador de velocidade, ar-condicionado com ajuste de temperatura independente e câmera de ré com tela de alta resolução.

Jefferson Ferrarez, diretor de vendas e marketing vans da Mercedes-Benz do Brasil, não confirma, mas sugere que a novidade coloca em pauta possível conteúdo da oferta da nova geração Sprinter, a ser lançada no País no segundo semestre de 2019. “Os itens incorporados podem ser um ensaio”, diz de maneira breve.

Os preparativos do lançamento da nova Sprinter, a terceira geração, já estão em andamento com as adequações necessárias na fábrica da empresa na Argentina. O modelo chegará completamente renovado, em versões com tração traseira ou dianteira e sistema de conectividade.

Publicidade:

Consorcio DAF

A principal razão de existir da Golden Edition é o desempenho da linha de comerciais leves da marca. Pelas contas da Mercedes-Benz, a gama Sprinter acumula 5,4 mil vans, furgões e cabines-chassis absorvidos pelo mercado no acumulado do até setembro, o que representa a liderança no segmento com participação de 36%, 21 pontos porcentuais em relação à fatia que detinha seis anos antes, de 15%. “No acumulado do ano, o mercado de large vans cresceu 23%, enquanto as vendas de Sprinter evoluíram 30%”, contabiliza Ferrarez.

Para o diretor da Mercedes-Benz, o crescimento das vendas do segmento até o fim do ano deverá ser no patamar de 20%, volume em torno 21 mil unidades, de 2 mil a 3 mil unidades a mais do desempenho anotado em 2017. “Cabe lembrar do potencial de crescimento. Em 2012, o mercado do segmento foi de 45 mil unidades”.

Fonte: (AutoIndústria/Décio Costa)

Comentarios