Limites de velocidade nas marginais de SP sobe em janeiro

Pistas expressas das marginais Tietê e Pinheiros voltam a 90 km/h; limite na pista central será de 70 km/h e nas locais, 60 km/h

As marginais dos rios Pinheiros e Tietê terão quatro limites de velocidade a partir de 25 de janeiro de 2017. O anúncio foi feito nesta terça-feira, 20 de dezembro, pelo futuro secretário de Transportes da gestão João Dória (PSDB), Sérgio Avelleda. A mudança nos limites foi uma das principais promessas da campanha de Dória, eleito prefeito no primeiro turno.

No caso dos veículos leves, o limite na pista expressa será de 90 km/h (voltando ao patamar anterior), 70 km/h na pista central da Marginal Tietê e 60 km/h nas pistas locais. Na faixa direita da pista local, pela qual circulam ônibus em alguns trechos e que permite a conversão à direita, a velocidade máxima será mantida em 50 km/h. Para veículos pesados, o limite será de até 60 km/h em todas as pistas, com exceção dos 50 km/h estipulados na pista local.

“As marginais foram projetadas para serem vias de trânsito rápido e faremos todas as ações para mitigar os riscos”, disse Avelleda.

Em julho de 2015, o prefeito Fernando Haddad (PT) reduziu o limite das velocidades máximas para 70 km/h na pista expressa, 60 km/h na pista central da Marginal Tietê e 50 km/h nas pistas locais. Na época, a medida gerou bastante polêmica entre os motoristas. De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), as alterações contribuíram para uma queda de 37,5% no número de acidentes com vítimas (leves, graves ou fatais).



O presidente da CET, João Octaviano Neto, afirmou que os congestionamentos causarão uma redução natural na velocidade de circulação dos veículos ao longo do dia.

“Por que a manutenção de uma faixa de 50 km à direita? Temos lá pedestres, bicicletas, que são os mais vulneráveis e temos que protegê-los. Precisamos garantir que ali o risco é menor, até porque é a via que dá acesso, esta via precisa ser segregada”.

Neto afirmou que a CET realizará uma série de ações para melhorar a operação nas vias expressas, incluindo redução de vias de acesso próximas a estações de ônibus e metrô , construção de elevações com faixas de pedestres para incitar a redução de velocidade dos veículos e intensificação da fiscalização com radar-pistola, mas exclusivamente para motociclistas, de acordo com a companhia.

“Não haverá ampliação de radar, nenhum elemento de ampliação de radar, mas ele é um elemento importante para redução da velocidade, mas a pessoa vai ser lembrada sempre dos limites. Então não vai ter pegadinha”, completou.

O programa de alteração dos limites de velocidade começa no dia 2 de janeiro, mas a readequação entrará em vigor definitivamente a partir do dia 25.

Fonte: Quatro Rodas

Comentarios