fmx-txt7_620x467

De acordo com a fabricante, o objetivo é verificar como as tecnologias do caminhão contribuem para transportes mais seguros e produtivos, em ambientes controlados e limitados, como uma mina subterrânea.

“Através da nossa cooperação com a Boliden, o desenvolvimento de veículos autônomos está entrando em uma fase nova e excitante. Esta é a primeira vez que os caminhões autônomos são testados em operações substerrâneas reais, e os resultados vão fornecer uma valiosa contribuição para a nossa missão de transformar avanços técnicos em benefícios ao consumidor.”, diz Claes Nilsson, presidente da Volvo Trucks.

fmx-txt31_620x467

Na primeira etapa dos testes, um caminhão FMX será empregado na mina e, após verificado seu desempenho, outros três caminhões se juntarão aos testes. Os modelos são os mesmos construídos nas fábricas Volvo, porém equipados com novas funcionalidades, como um sistema de radares e sensores a laser que monitoram a geometria da mina, e geram um mapa do percurso. As informações colhidas são utilizadas para regular a direção, as mudanças de marcha e a velocidade do caminhão.

Entre os benefícios da tecnologia dos caminhões autônomos, a Volvo destaca o planejamento antecipado da rota, a velocidade constante, a falta de congestionamentos e o tempo de espera que os funcionários precisam para carregar o minério após as explosões, o que é praticamente eliminado com caminhões inteligentes e autônomos. Ainda segundo a marca, o autônomo deve ser tão ou mais seguro que um caminhão manual. Em caso de falhas, por exemplo, a fabricante afirma que o caminhão pode ser operado remotamente, fornecendo segurança extra aos operadores.

Publicidade:



fmx-txt22_620x467

A Volvo ressalta também a importância do condutor na operação, e afirma que, apesar de serem autônomos, os caminhões sempre serão controlados pelos humanos, que continuarão a desempenhar o papel principal na logística do futuro.