Finame PSI continua em 2014

O mercado de veículos comerciais segue em recuperação depois dos fracos resultados do ano passado. Com objetivo de manter o ritmo, o ministro da Fazenda Guido Mantega prometeu na quinta-feira, dia 4, aos diretores da Anfavea, a manutenção do Finame PSI para todo o ano de 2014.

O Programa de Sustentação do Investimento, que tinha duração prevista apenas até o fim de 2013, oferece condições especiais para o financiamento de caminhões, ônibus e outros bens de capital. “O anúncio foi muito providencial e, com isso, evitamos bolhas de consumo”, comentou o presidente da organização, Luiz Moan, durante coletiva de imprensa de balanço do setor automotivo. Ainda assim, ainda não foram definidas os juros da nova etapa do programa. Por enquanto, as taxas estão em 4% ao ano até 31 de dezembro de 2013.

Com produção e vendas em alta, as montadoras de veículos comerciais se recuperam da crise de 2012, quando amarguraram quedas de produção na ordem de 40,5% em relação a 2011, no caso de caminhões, e de 25,4% nos ônibus. Os números de 2013 indicam melhora expressiva: de janeiro a setembro de 2013 a fabricação de caminhões já supera em 50,9% igual período de 2012, enquanto os ônibus tiveram evolução de 23,1%. Em números absolutos, o acumulado de 2013 são 149,1 mil caminhões produzidos e 31,6 mil ônibus.

As vendas são 13,6% e 10,1% superiores (caminhões e ônibus, respectivamente) no período de janeiro a setembro deste ano em relação a 2012. Foram licenciados 115 mil veículos comerciais (semileves, leves, médios, semipesados e pesados) vendidos de janeiro a setembro deste ano, contra 101.317 unidades em igual período do ano passado. Os ônibus somam 24.034 unidades em 2013 ante 21.836, em 2012.

SETEMBRO Os números alcançados em setembro são negativos em relação a agosto. Na produção o mês fechou com 17,1 mil caminhões, e 3.050 ônibus, com queda de 9,2% e 7,7%, respectivamente. Também houve retração do mercado entre os dois meses, de 3,9% no caso de caminhões, para 12,7 mil veículos, e de 5,7% no segmento de chassis, para 2,7 mil unidades.

ABAIXO DO RECORDE

Apesar do crescimento dos volumes de vendas e de produção, o resultado ainda está abaixo do anotado em 2011, ano recorde para o setor. Da janeiro a setembro daquele ano foram produzidos 165,5 mil caminhões e 35,6 mil ônibus. No caso dos caminhões, o ritmo deste ano ainda está 10% menor e, no segmento de ônibus, a baixa é de 12,7%.

Considerando as vendas, o resultado também é inferior ao anotado em 2011. De janeiro a setembro daquele ano foram vendidos 129,9 mil caminhões, uma diferença de 12,8% em relação a igual período de 2013. As vendas de ônibus somaram 25.204 unidades no ano recorde, 4,8% acima dos números atuais.

PESADOS EM ALTA

As vendas de caminhões pesados dispararam em setembro, com crescimento de 5,1% em relação a agosto, e de expressivos 111,9% na comparação com o mesmo mês do ano passado, de acordo com os números divulgados pela Anfavea.

No mês passado, foram vendidos 4,5 mil veículos pesados ante 4,3 mil em agosto. Já em setembro de 2012, o número foi 2.152 unidades. No acumulado do ano, as vendas de caminhões pesados aceleraram 41,6%. São 40,8 mil veículos da categoria emplacados entre janeiro a setembro deste ano.

Em contrapartida, os semileves apresentam queda de 19,2% nas vendas acumuladas . No total, foram licenciados 4,1 mil veículos este ano ante 5,1 mil unidades em 2012. Em setembro, as vendas somaram 493 caminhões, contra 537 em agosto, um decréscimo de 8,2%.

ALEXANDRE AKASHI – Fonte

Comentarios