Felipe Giaffone conquista o primeiro lugar em corrida de muitas quebras em Curitiba

Pódio também teve a primeira vez de Raijan Mascarello, da ABF Racing Team, que conquistou o terceiro lugar e fez dobradinha com seu companheiro de equipe, Gustavo Magnabosco.  

Depois de várias atividades realizadas ao longo do final de semana, o Autódromo Internacional de Curitiba foi palco da segunda etapa doa temporada 2016 da Fórmula Truck. A corrida que aconteceu neste domingo (10) levou para a pista 22 pilotos.

Os primeiros lugares do grid de largada foram ocupados por Felipe Giaffone, da RM Competições, Diogo Pachenki, da Copacol Truck Racing, Wellington Cirino, da ABF Mercedes-Benz e Raijan Mascarello, da ABF Racing Team. Roberval Andrade, da Corinthians Motor Sport, havia conquistado o quarto lugar no grid, mas largou dos boxes porque um conserto em seu caminhão não permitiu que ele se alinhasse dentro do tempo determinado.

Foto: Larissa J. Riberti
Foto: Larissa J. Riberti

A corrida foi marcada por quebras dos caminhões, causadas também pelo traçado da pista, que possui retas longas e curvas fechadas. Logo na primeira curva, Raijan Mascarello e seu companheiro de equipe, o jovem Gustavo Magnabosco, “tiraram tinta” de seus caminhões. Poucas voltas depois, André Marques, da RM Competições, foi surpreendido com fogo no seu caminhão e deixou a prova.

Depois dele, uma série de outros problemas foi tomando conta de vários caminhões, forçando os pilotos a desistirem da corrida. No final, apenas 7 dos 22 pilotos que largaram, conseguiram terminar a corrida.

Quem mais sofreu com a quebra foi Debora Rodrigues. A piloto da RM Competições colocou muita pressão em Regis Boessio, da Boessio Competições, e conseguiu a ultrapassagem faltando apenas alguns minutos do final da corrida. No entanto, ao abrir a última volta, o caminhão de Débora começou a soltar muita fumaça e soltou uma biela no meio do caminho. Foi a oportunidade para Regis Boessio assumir a quinta colocação e terminar a prova em quinto lugar.

Valmir “Hisgué” Benavides, Geraldo Piquet e Jansen Bueno, pilotos que já atuaram na Truck, voltaram neste final de semana para a categoria, não conseguiram terminar a prova. Vale ressaltar que Bueno ainda definirá se fica na categoria para as próximas etapas da temporada 2016. O piloto deve confirmar a decisão em breve.

A prova que ocorreu em Curitiba foi dividida em duas baterias e mostrou que a boa administração do equipamento atrelada a uma estratégia de manutenção da posição foi decisiva para que o piloto pudesse conquistar uma boa colocação.

IMG_5355
Foto: Larissa J. Riberti

Felipe Giaffone foi impecável nos dois quesitos e liderou a corrida do começo ao fim, conquistando não só o primeiro lugar como 100% da pontuação possível em uma etapa da Fórmula Truck. O piloto fez o melhor tempo nos três treinos livres que aconteceram no final de semana, além de conquistar a pole position no sábado.

No entanto, ele ainda é cuidadoso nas expectativas para o campeonato.  “O campeonato está apenas começando e é muito importante você saber administrar as duas partes da corrida, porque o sistema de pontos influencia muito”, frisou o piloto que já acumula 25 vitórias na categoria, atrás apenas de Renato Martins, o chefe da equipe RM Competições.

Diogo Pachenki também se manteve na frente durante as duas etapas da corrida e garantiu a vice-liderança. O piloto destacou o alto nível da competição. “Meu caminhão estava bom e era rápido, mas não o suficiente para acompanhar o Felipe. O dele é muito mais rápido e eu não consegui fazer nem cocegas”, brincou Pachenki.

O terceiro lugar ficou com Gustavo Magnabosco, o jovem piloto que vem acumulando bons resultados. O catarinense contou com uma torcida de aproximadamente 70 amigos, amigas e familiares que vieram da sua cidade para apoia-lo e prestigia-lo.

Depois de 22 corridas na categoria, Magnabosco diz estar muito feliz e busca dividir experiências e aprender com os outros pilotos. “Só de chegar no final numa categoria com tantos pilotos com experiência e equipamentos bons eu já ficou muito feliz e grato.”, comentou.

Mas quem estava feliz mesmo era Raijan Mascarello, que depois de 3 anos na categoria conquistou o primeiro pódio. A trajetória até a data de hoje foi marcada por aprendizado e uma série de obstáculos que o levaram até o quarto lugar.

“Com certeza a primeira vez a gente nunca esquece! Terceiro ano e meu primeiro pódio, o que eu considero uma vitória. Todas as categorias que eu andei sempre fui competitivo, mas aqui infelizmente não estávamos com um bom equipamento. Agora, temos outra realidade e o resultado vai vir do conjunto de trabalho entre o piloto e a equipe.”, explicou Raijan.

Foto: Larissa J. Riberti
Foto: Larissa J. Riberti

O simpático Regis Boessio completou o pódio em quinto lugar, favorecido pela quebra do caminhão de Debora Rodrigues, mas também por ter conseguido administrar o caminhão durante as duas etapas da prova.

“O caminhão estava muito bom na primeira parte da corrida, eu estava até controlando para não andar tão perto e não aquecer o conjunto. Na segunda parte, o caminhão deu alguns problemas, vazando líquido e não respondendo. No final foi difícil porque a turbina soltou, então o caminhão não rendia nas retas. Eu estou muito feliz de estar aqui, temos muito que melhorar, mas voltar para o pódio é sempre muito bom.”, finalizou.

Confira os dez primeiros colocados da segunda etapa da Fórmula Truck, realizada no Autódromo Internacional de Curitiba.

1) Felipe Giaffone (RM Competições-MAN), 12 voltas em 28min06s321

2) Diogo Pachenki (Copacol Truck Racing), a 1s842

3) Gustavo Magnabosco (ABF Racing Team), a 9s448
4) Raijan Mascarello (ABF Racing Team), a 11s542

5) Régis Boessio (Boessio Competições), a 21s650
6) Pedro Muffato (Muffatão Racing), a 33s730
7) Alex Fabiano (ABF Azulim Indy Truck Racing), a 34s211
8) Débora Rodrigues (RM Competições-MAN), a 1 volta
9) Valmir Benavides (Fábio Fogaça Motorsports), a 2 voltas
10) Ricardo Sargo (ABF Volvo), a 3 voltas

Redação Chico da Boleia

Comentarios