Especial 10 Anos de Chico da Boleia

Chico da Boleia em campanha de conscientização sobre o Novembro Azul em posto no interior de São Paulo. (Foto: divulgação)

Especial 10 Anos de Chico da Boleia

Criador do projeto revela como surgiu a plataforma e ressalta a importância de apoiar os trabalhadores do setor TRC

Em comemoração aos 10 anos do Chico da Boleia, nossa plataforma divulgará uma série de reportagens para contar um pouco da história do portal e relembrar momentos marcantes, começando com uma entrevista especial com o responsável por todo o trabalho feito na última década.

Além de levar informação ao público, o Chico da Boleia faz questão de estar ao lado do trabalhador, ajudando-o durante os períodos difíceis, sempre por meio de ações sociais que contam com apoio de empresas e instituições do setor do transporte rodoviário de carga.

Em depoimento, Chico conta que a ideia de criar o que hoje conhecemos como plataforma multimídia, surgiu por dois motivos básicos: para resolver um problema externo e outro interno. “Isso quer dizer que criando uma plataforma de imprensa seria mais fácil ter acesso as empresas para buscar apoio e soluções aos problemas do setor; e a questão externa era porque não existiam canais efetivos e específicos de comunicação, percebendo assim uma área a ser explorada ”, revela.

– Inicialmente, o trabalho era feito mais de forma espontânea, do que profissional. Na ocasião, a primeira mídia a entrar no ar foi o rádio. Começamos com um programa de uma hora de duração, que misturava notícias e música raiz, ao vivo das 4h às 5h, em uma rádio AM de grande audiência na região de Itapira-SP. Depois, veio o site, o jornal impresso, as redes sociais e o canal no Youtube – destaca Chico.

O jornalista explica que o objetivo do projeto era levar informação ao público-alvo a respeito do que ocorria diariamente no trecho e, sempre que possível, apurar os casos no local. “A reação foi excepcional! Tivemos inúmeras manifestações de apoio e de críticas pontuais e construtivas”, conta. Ele ainda ressalta que na primeira edição do jornal impresso, foram distribuídos 50 mil exemplares, em formato tabloide para ser diferenciado das revistas do segmento.

Ao longo dos anos, muitas mudanças foram feitas e a plataforma foi evoluindo, adaptando-se as novidades do mercado e atendendo as demandas do público, prezando sempre pela qualidade e veracidade da informação, tornando-a ainda mais dinâmica.

– Desde o princípio fomos independentes, plurais, buscando a informação onde ela acontecia e com profissionais de renomada experiência no setor, além de checar todos os fatos, mostrando ainda que nossa intenção era agregar valor ao setor. Isso se mostra na evolução dos slogans: começamos com “Chico da Boleia o Amigão das Ideias” que remete ao dia a dia da estrada, a relação de camaradagem entre os profissionais do trecho; depois “Chico da Boleia Orgulho de ser Caminhoneiro”, que remete ao amor que o pessoal tem por estar no caminhão ou carreta; e por fim “Chico da Boleia A Voz do Setor dos Transportes”, devido ao fato de que ao longo dos 10 anos fomos formados pelas relações construídas e hoje somos a voz do setor, não somente do caminhoneiro, mas a de todos que atuam na área, sejam empresas, sindicatos, entidades, dentre outros – conta Chico.

Atualmente, a plataforma tornou-se referência no setor, formando grandes parcerias e idealizando projetos voltados a ações sociais. Isso se deu através da participação constante do Chico na maioria dos eventos da área, não importando o tipo. E também devido a rodagem para entrega do jornal impresso nas cidades, somando 10 mil quilômetros rodados mensalmente para levar a informação na porta do leitor.

Para Chico, as principais dificuldades encontradas – na época da criação da plataforma – era ter acesso ao mercado, no qual existiam veículos de comunicação tradicionais, além da falta de recursos. Atualmente, o principal obstáculo encontrado é o acesso a recurso, devido à instabilidade econômica que o país enfrenta. “É crise atrás de crise, se não é econômica é política, e agora sanitária”.

Questionado sobre o que o levou a trabalhar especificamente com o setor de TRC, Chico revela que se trata de um público estratégico para a economia do país e extremamente carente de informação precisa, segura e confiável. “Eu acredito que o maior impacto do nosso trabalho é fazer com que o leitor se sinta valorizado, pois o tratamos com respeito”.

Por estar presente no cotidiano do trabalhador do TRC, Chico notou a necessidade de ações efetivas que ajudassem em período críticos, com isso criou a campanha “Rede Solidária Chico da Boleia, cujo objetivo é beneficiar os motoristas.

– A Rede Solidária nasceu de forma natural, pois o trabalho que desenvolvemos desde o início é nos inserir dentro o contexto do setor. Assim sendo, desenvolvemos atividades laterais como o combate ao roubo de carga, pois entendemos que quem sofre de fato, apesar do prejuízo financeiro, é o profissional ao volante. Agora temos a Covid-19, nossos leitores estão na linha de frente, sem fugir da sua responsabilidade, e entendemos que é nossa obrigação ajudar no combate a pandemia indo para beira das estradas e distribuir kits de higiene – destaca Chico.

É importante lembrar que a campanha permanecerá ativa até o fim do ano e, no momento, está à procura de parceiros para continuar levando ajuda e informação aos trabalhadores nas estradas do país.

Questionado sobre o futuro da plataforma, Chico revela que o objetivo principal, desde o primeiro dia, é a TV aberta. “Mas isso demanda uma gama enorme de recursos e nós vamos buscar esta realização. Existem outros projetos, um pouco menores, que estão em fase de produção – e não podemos revelar detalhes agora, pois o segredo antes da data de lançamento é a alma do negócio!”, conclui.

Todos que atuam no setor de TRC precisam ser valorizados e apoiados nesse momento crítico. São esses trabalhadores que ajudam a fomentar a economia e colaboram para o país não parar. Cada ação realizada pelo Chico da Boleia é pensada, justamente, para garantir que vocês não sejam esquecidos e que tenham suas demandas ouvidas. E que venham mais 10, 20 anos de Chico da Boleia!

Comentarios