Dupla dobradinha e vitória de Giaffone em Cascavel.

A Sexta Etapa do GP Aurélio Batista Félix de Fórmula Truck esquentou o Autódromo Zilmar Beux de Cascavel. Neste domingo (4), cerca de 40 mil pessoas curtiram as emoções da disputa, e outras milhares prestigiaram as atividades durante toda a etapa.

Felipe Giaffone teve um final de semana glorioso. Entre quebra de recorde e pole position, o piloto da RM Competições subiu no lugar mais alto do pódio com seu novo caminhão MAN pela primeira vez. “Foi um final de semana espetacular. Ontem comemorei bastante a pole porque sabia que hoje seria difícil guiar um caminhão totalmente novo. Não esperava a vitória logo de cara, apesar de saber que tenho um caminhão bom, estava com receio de não terminar a prova. Hoje o caminhão provou que veio pra competição e pra ficar”, comemorou Giaffone.

Durante a corrida, Leandro Totti largou na décima colocação e conseguiu ultrapassar Giaffone. Entretanto, na sexta volta, o paranaense quebrou, deixando o caminho livre para o seu companheiro de equipe.

Pódio da sexta etapa do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck. Foto: Larissa J. Riberti

A primeira dobradinha do pódio foi da ABF Santos Desenvolvimento. Geraldo Piquet ficou com a segunda colocação e assumiu a liderança do Campeonato Brasileiro. “Acho que tudo se definiu nas duas primeiras voltas. Depois da minha escapada no bacião, imprimi um ritmo mais forte. De seis corridas consegui subir em três pódios. Estou muito satisfeito com o caminhão e com a equipe”, explicou Piquet.

Companheiro de equipe do brasiliense, Wellington Cirino ficou com a terceira colocação. O piloto acredita que desde Interlagos um novo horizonte tenha se aberto para ele nas últimas etapas desta temporada. “A gente trabalhou muito em cima do caminhão desde Interlagos”, frisou Cirino. “Essa corrida eu disputei sem nenhuma preocupação de quebra, só administrando o caminhão. E pra Córdoba vamos melhorar. Temos tudo pra sair de lá disputando ainda mais”, completou Cirino.

A outra dobradinha foi da equipe Scuderia Iveco. Logo na primeira volta, Beto Monteiro e Paulo Salustiano se tocaram e o pernambucano perdeu algumas posições. Ao longo da corrida, no entanto, o piloto do caminhão numeral 88 conseguiu recuperar as posições e subir ao pódio.  Vindo de uma vitória em Interlagos, Monteiro revelou que o final de semana começou difícil e exigiu muito trabalho da equipe.

Valmir Benavides, quinto colocado, testemunhou que a corrida em Cascavel foi bastante forte e competitiva. “Acho que não só pra mim como pra todo mundo a prova impôs um ritmo bastante forte. Mas o caminhão estava perfeito e deu para acompanhar a corrida sem maiores problemas”, finalizou Hisgué.

Durante a coletiva de imprensa, os pilotos ainda comentaram o quanto a temporada 2013 tem sido disputada acirradamente. Para Wellington Cirino as corridas tem mostrado a alta competitividade dos pilotos. “Os números são interessantes, o campeonato está totalmente em aberto. Tentarei dar o meu retorno ganhando corrida. Todo mundo terá que saber administrar os pontos nas próximas etapas”, concluiu Cirino.

Giaffone lidera a prova. Foto: Larissa J. Riberti

Já seu companheiro de equipe, Geraldo Piquet, diz se preocupar com as corridas. “O campeonato é resultado do desempenho nas etapas. Eu penso nas provas e agora é pensar em Córdoba. Estou olhando para o Campeonato Sul-Americano.”, avaliou Piquet.

A corrida ainda foi marcada pelas batidas de Leandro Totti, André Marques e Jansen Bueno. Felizmente, o pronto atendimento e a segurança da categoria preservou a integridade física de todos.

A próxima etapa acontecerá na belíssima cidade de Alta Gracia, localizada na região de Córdoba, na Argentina. Lá, acontecerá a decisão do Campeonato Sul-Americano de Fórmula Truck. Confira como ficaram os resultados após a corrida em Cascavel.

 

 

1º) 4 – Felipe Giaffone (W, SP), 20 voltas em 57:16.201 (média de 64.07 km/h)

2º) 3 – Geraldo Piquet (M , DF), a 0.637

3º) 6 – Wellington Cirino (M , PR), a 1.739

4º) 88 – Beto Monteiro (I , PE), a 3.271

5º) 2 – Valmir Benavides (I , SP), a 5.075

6º) 7 – Debora Rodrigues (W , SP), a 6.250

7º) 72 – Djalma Fogaça (F , SP), a 7.095

8º) 30 – Rogerio Castro (V , GO), a 13.095

9º) 51 – Leandro Reis (S , GO), a 15.020

10º) 10 – Ronaldo Kastropil (S , SP), a 15.537

11º) 21 – Alex Caffi (I , IT), a 20.612

12º) 20 – Pedro Muffato (S , PR), a 21.833

13º) 12 – Zé Maria Reis (S , GO), a 24.631

14º) 77 – André Marques (W , SP), a 1 volta

15º) 0 – Alberto Cattucci (V , SP), a 2 voltas

16º) 80 – Diogo Pachenki (M , PR), a 3 voltas

17º) 11 – Jansen Bueno (V , PR), a 4 voltas

18º) 71 – Raijan Mascarello (F , MT), a 6 voltas

19º) 73 – Leandro Totti (W , PR), a 6 voltas

20º) 99 – Luiz Lopes (I , SP), a 7 voltas

21º) 14 – João Maistro (V , PR), a 8 voltas

22º) 83 – Regis Boessio (M , RS), a 9 voltas

23º) 8 – Adalberto Jardim (W , SP), a 12 voltas

24º) 15 – Roberval Andrade (S , SP), a 16 voltas

25º) 55 – Paulo Salustiano (M , SP), a 19 voltas

 

Melhor Volta: Wellington Cirino, 1:18.501 (140.23 km/h)

 

Redação Chico da Boleia

Informações técnicas: Cronomap

Comentarios