Fenabrave revê projeções de vendas de veículos

Veículos Automotores, entidade que representa mais de 7,2 mil concessionários de veículos de todo o Brasil, divulgou dia 02, durante coletiva de imprensa, o desempenho do setor automotivo no mês de julho e revisou as projeções do setor para o encerramento do ano de 2013.

As vendas de todos os segmentos somados (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros, como carretinhas para transporte) apresentou crescimento de 7,70%. Foram emplacadas 498.924 unidades no mês passado, contra 463.266 no anterior. Se comparado às vendas do setor automotivo com o mês de julho/2012, o setor geral apresentou retração de 4,20%. Também houve retração no acumulado do ano. Se comparados os meses de janeiro a julho de 2012 com igual período de 2013, este ano sofreu queda de 0,77% nos emplacamentos de todos os segmentos somados, puxada devido ao baixo desempenho do setor de motocicletas.

Os segmentos de automóveis e comerciais leves apresentaram bom desempenho em julho, com crescimento de 6,94% sobre junho. Foram emplacadas 323.916 unidades em junho, contra 302.896 em julho. “O mês foi positivo, pois tivemos 22 dias úteis contra 20 no mês anterior”, esclareceu Flávio Meneghetti, presidente da Fenabrave. Sobre julho de 2012, houve queda de 7,82% nos emplacamentos de automóveis e comerciais leves mas, no acumulado, esses segmentos tiveram aumento de 2,42% sobre o ano de 2012. “A comparação entre os meses de junho a agosto deste ano com o mesmo período do ano passado deve apresentar queda de fato pois, em 2012, nestes meses, estávamos em plena vigência da redução do IPI, o que elevou substancialmente as vendas naquele momento. Vamos recordar que o mês de agosto de 2012 foi o melhor mês da história para automóveis e comerciais leves, quando foram emplacadas 405.000 unidades”, explicou o presidente da entidade.

Novas Projeções

Durante a coletiva de imprensa, a Fenabrave revisou as projeções para o ano. Como a realidade do setor de motocicletas tem variáveis diferenciadas, a Fenabrave desmembrou as projeções totais do setor global sem este segmento. Assim, se considerados e somados os segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus e implementos rodoviários, o ano de 2013 deverá apresentar crescimento de cerca de 1,53% no total.

Para automóveis e comerciais leves, a previsão da Fenabrave é chegar, ao final de 2013, a um balanço de crescimento menor do que o inicialmente projetado pela entidade (+2,60%), devendo aumentar 1,03% diante dos resultados obtidos em 2012. “Tivemos redução da expectativa de crescimento do PIB que era de mais de 3% e agora estamos com estimativa de até 2% e isso impacta, diretamente, nas perspectivas de crescimento para o setor automotivo”, comentou Flávio Meneghetti, que complementa: “Ainda estamos vivendo um período de volatilidade na economia, o que prejudica qualquer projeção mais assertiva. O que podemos prever, mantidas as condições atuais, é que os segmentos de automóveis e comerciais leves apresentem volume ligeiramente superior ao obtido no ano passado”, salienta Meneghetti.

Já os setores de caminhões, ônibus, implementos rodoviários e máquinas agrícolas têm boas perspectivas de crescimento para 2013. O setor de caminhões, por exemplo, deve alcançar 154.380 unidades este ano, numa elevação de 12,10% sobre 2012. O segmento de ônibus deve chegar a 13,40% de aumento no ano e o de tratores e máquinas agrícolas deverá crescer acima de 10% este ano.

O segmento de motocicletas, que ainda passa por dificuldades, deve encerrar 2013 com queda de 8,6% sobre o ano passado.

Na avaliação do presidente da Fenabrave, a economia brasileira não está recessiva, tampouco eufórica. “Mas o certo é que, se comparado a outros setores, que têm apresentado retração, o automotivo se destaca positivamente, tanto em resultados como em novos e significativos investimentos”, analisa o presidente da Fenabrave.

Desempenho de todos os Setores

Automóveis e Comerciais Leves: As vendas de automóveis e comerciais leves somaram 323.916 unidades em julho, volume que representa crescimento de 6,94% sobre as 302.896 unidades comercializadas em junho. Na comparação com julho/2012 (351.381 unidades), os segmentos registraram queda de 7, 82%. Já no acumulado de janeiro a julho, houve crescimento de 2,42% sobre os resultados de 2012.

Caminhões e Ônibus: Os emplacamentos de caminhões apresentaram crescimento de 16,38% na comparação com junho. Foram licenciadas 15.224 unidades em julho, contra 13.081 caminhões no mês anterior. Na comparação com julho de 2012, quando foram negociadas 10.729 unidades, o segmento atingiu crescimento de 41,90%. No acumulado do ano, as vendas também aumentaram 11,60 % contra igual período de 2012.

O segmento de ônibus cresceu 19,21% no mês de julho. Foram emplacadas 3.140 unidades, contra 2.634 em junho. Na comparação com o mesmo mês de 2012 (2.064 unidades), o segmento cresceu 52,13%. No acumulado, as vendas do segmento aumentaram 18,12% sobre 2012.

Os setores de caminhões e ônibus, juntos, apresentaram crescimento de 16,86%, no comparativo entre junho e julho, e de 43,55% na comparação com julho de 2012. No acumulado, a alta foi de 12,73% para os dois setores somados.

O segmento de duas rodas registrou alta de 7,35% em julho, no comparativo com junho, passando de 125.008 unidades para 134.202 em julho. Em relação ao mesmo período de 2012, o setor apresentou retração de 3,08% e, no acumulado, a queda chegou a 10,60%.

Implementos Rodoviários: Foram vendidas 6.686 unidades em julho, contra 5.535 em junho. Este valor representa alta de 20,79% entre os dois meses. Em relação a julho do ano passado, o segmento apresentou forte crescimento, que chegou a 52,68% e, no acumulado do ano, houve crescimento de 29,57% sobre 2012.

Fonte: Fenabrave

Comentarios