DNIT aprova duplicação de dois lotes da BR-381

BR-381, conhecida como Rodovia da Morte, será duplicada nos 305 quilômetros que separam Belo Horizonte de Governador Valadares  (Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
BR-381, conhecida como Rodovia da Morte, será duplicada nos 305 quilômetros que separam Belo Horizonte de Governador Valadares
O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) aprovou a contratação de uma empresa para a duplicação da BR-381 nos lotes 1 e 2. O ato foi publicado pelo Diário Oficial da União nessa terça-feira (10). Os lotes correspondem a uma área que vai de Governador Valadares, no Leste de Minas Gerais, até Jaguaraçu. Dos 11 lotes previstos no projeto, quatro já haviam sido aprovados, e com os lotes 1 e 2, somam-se seis.
A empresa escolhida foi o Consórcio Isolux-Corsán/Engevix, que será responsável  pela elaboração dos projetos básicos e executivos, além da realização das obras nos dois lotes. A homologação aconteceu após dois consórcios entrarem com recurso no DNIT, que julgou os casos e definiu o vencedor. Segundo a proposta da empresa vencedora, serão investidos R$ 210.855.658,73 no primeiro lote e  R$ 237 milhões no segundo.
Os lotes que estão autorizados para contratação imediata são – 3.1, 3.3, 4 e 7 que corresponde aos trechos entre Nova Era e João Monlevade. Os lotes 1, 2 estavam paralisados por causa de recursos impetrados por uma empresa, que também entrou com impedimento nos lotes 6, 8a e 8b.
As obras são de duplicação e ampliação de capacidade e de segurança entre o km 155,4 (MG-020/Avenida Cristiano Machado, em Belo Horizonte) e o 458,4 (entroncamento com a BR-116 em Valadares). A licitação é em regime diferenciado de contratação (RDC), na modalidade contratação integrada, e prevê que o consórcio ou empresa contratada elabore o projeto e execute as obras.
Segundo informações do departamento, com essa modalidade, a gestão de risco passa a ser de responsabilidade do mercado, sem nenhum aditivo. A exigência de seguro performance nessa modalidade, garante a conclusão das obras, independentemente de problemas alheios à empresa contratada ou ao Dnit.
Extraído de: G1?

Comentarios