CNT lança painel com dados de empregos no setor de transporte

O painel permite identificar o total de admissões e desligamento,s e verificar o saldo de vagas por unidade da Federação, por região e por modal. (Foto: reprodução)

CNT lança painel com dados de empregos no setor de transporte

Ferramenta online utiliza números do Novo Caged e traz a evolução mensal do mercado de trabalho

A CNT (Confederação Nacional do Transporte) lançou nesta quarta-feira (19) o Painel do Emprego no Transporte. A ferramenta traz a movimentação mensal no mercado de trabalho formal no setor e no Brasil.

A plataforma de consulta online utiliza os números do Novo Caged (Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério da Economia. Nela, é possível identificar o total de admissões e desligamentos e verificar o saldo de vagas por unidade da Federação, por região e por modal. O painel mostra, ainda, quais as ocupações no setor tiveram o maior número de contratações e de dispensas.

De acordo com o painel, no primeiro semestre de 2020, o setor de transporte acumulou perda de 56.584 vagas de emprego. Nesse período, os segmentos de transporte com pior desempenho foram o rodoviário urbano de passageiros, com menos 27.697 postos de trabalho, e o rodoviário de passageiros (interestadual e internacional), com saldo líquido de 21.936 vagas fechadas.

O presidente da CNT, Vander Costa, explica que o painel é mais uma iniciativa da Confederação para auxiliar os transportadores nas suas estratégias e decisões organizacionais, oferecendo informações confiáveis em uma plataforma de fácil acesso e consulta.

– Esse novo painel, que lançamos hoje, funciona como uma espécie de termômetro do mercado de trabalho, pois permite identificar evoluções e tendências em cada segmento e no setor como um todo. Acreditamos que tais indicadores podem ajudar as empresas de transporte nos seus processos decisórios e no planejamento para os próximos meses – conclui Costa.

Para saber mais acesse: https://www.cnt.org.br/painel-emprego-transporte

Fonte: CNT Notícias

Comentarios