Capital do Canadá decreta estado de emergência após greve dos caminhoneiros

As paralisações tomaram grandes proporções, afetando outras cidades do país (incluindo a fronteira com os Estados Unidos). (Foto: reprodução)

Capital do Canadá decreta estado de emergência após greve dos caminhoneiros

Trabalhadores protestam contra o passaporte da vacina

Redação Chico da Boleia

Desde o dia 29 de janeiro, caminhoneiros protestam contra a exigência do passaporte da vacina nas ruas de Ottawa, capital do Canadá. No primeiro dia de manifestação, os trabalhadores fecharam as principais vias da região e, nesta segunda-feira (07), as paralisações tomaram grandes proporções, afetando outras cidades do país (incluindo a fronteira com os Estados Unidos).

O objetivo dos protestos – denominados Freedom Convoy (Comboio da Liberdade) – é garantir que as restrições impostas pelo governo local sejam retiradas, incluindo a obrigatoriedade do passaporte da vacina contra a Covid-19 para aqueles que precisam cruzar a fronteira, além do período de quarentena.

A medida ainda reforça que motoristas de transporte de mercadorias têm que se vacinar para que possam passar pela fronteira com os Estados Unidos.

Estima-se que mais de 200 caminhões e outros veículos estejam bloqueando as principais estradas de acesso a Ottawa. Com isso, o prefeito da cidade, Jim Watson, foi forçado a declarar estado de emergência visto que a situação está “totalmente fora de controle” e que os atos representam um perigo para segurança da população local.

O prefeito de Ottawa recorreu ao conselho da cidade para que as negociações com os caminhoneiros sejam mantidas. Watson ainda destacou que não há funcionários suficientes para contar os protestos, por isso recorreu ao estado de emergência, garantindo assim o envio de efetivo para tentar encerrar a paralisação.

Muitos dos trabalhadores envolvidos nos protestos são influenciados pela constante divulgação de fake news, desinformando adequada a população acerca dos riscos provocados pela pandemia.

*Com informações do Sputnik Brasil

Comentarios