Vendas de pneus de carga puxaram desempenho do setor no terceiro trimestre do ano.

Com crescimento de 57,8% nas vendas para montadoras de caminhões e ônibus, levantamento do setor confirma tendência de aumento na comercialização de pneus para fabricantes e queda no segmento de reposição.

A ANIP (Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos) registrou aumento de 2,4% nas vendas de pneus no terceiro trimestre de 2018 em relação ao mesmo período de 2017. Foram comercializadas 15,7 milhões de unidades de pneus, contra 15,3 milhões no ano passado.

“Apesar de registrar um pequeno crescimento no terceiro trimestre deste ano, o resultado poderia ter sido melhor. A instabilidade no contexto político e econômico vivenciada no período impactou o mercado como um todo, e sentimos isso principalmente no mês de setembro, quando registramos queda de 4% em relação a agosto”, comenta Klaus Curt Müller, presidente executivo da ANIP.

No mercado de reposição foram vendidos 11,5 milhões de pneus no terceiro trimestre de 2018, 1,4% a menos ante o mesmo período de 2017, com 11,7 milhões de unidades negociadas. Já em relação aos equipamentos originais, destinados a montadoras, foram comercializados 4,1 milhões em 2018, contra 3,6 milhões de 2017, um acréscimo de 14,9%.

Publicidade:

Consorcio DAF

“Mesmo com o aumento na comercialização de pneus para montadoras, houve um impacto negativo no mercado de reposição nesse trimestre, que se deu principalmente pela redução nas vendas no mês de julho”, completa Klaus Curt Müller.

Pneus para caminhões e ônibus.

Os pneus de carga seguiram a tendência de alta e registraram aumento geral nas vendas da ordem de 14,3% no terceiro trimestre deste ano. O destaque fica por conta da comercialização para montadoras, que cresceu 57,8% no período, além das vendas para o segmento de reposição, que avançaram 6,9%.

A comercialização de pneus para veículos comerciais leves registrou leve queda de 1,7% no terceiro trimestre de 2018, quando comparado a 2017. O resultado por ser atribuído ao segmento de reposição, que caiu 5,8%, na contramão das vendas para montadoras, que cresceu 3,8% no período.

Comentarios