Toyota lança ecossistema de mobilidade e minivan elétrica e autônoma

Toyota apresentou nesta semana, durante a CES 2018, um conceito de veículo elétrico e autônomo que pretende atender às mais variadas demandas de transporte urbano.

Batizado de e-Palette, o veículo é uma mini van elétrica de bateria de última geração, totalmente automatizado, projetado para ser escalável e personalizável para uma variedade de negócios de Mobilidade como Serviço (MaaS).

Anunciada em 2016, a Plataforma de Serviços de Mobilidade da Toyota (MSPF) é a estrutura da montadora para uma variedade de aplicativos de veículos conectados, fornecendo um conjunto completo de serviços necessários para suportar o MaaS, desde arrendamento de veículos e seguros até gerenciamento de frotas e dados importantes.

Assim, o e-Palette fará parte de um ecossistema de mobilidade e transforma a montadora japonesa em uma fornecedora emergente de hardware e serviços de mobilidade para empresas. A Toyota está focada em criar recursos novos e atraentes para parceiros que ajudem a expandir sua cadeia de valor e melhorar a vida dos clientes.

Com o seu layout de design aberto, o veículo pode ser equipado com interiores construídos de acordo com as necessidades do usuário, seja a entrega de encomendas, o compartilhamento de viagem ou o comércio eletrônico.

“A indústria automobilística está claramente em meio ao seu período de mudança mais dramático, já que tecnologias como a eletrificação e a roteirização conectada estão fazendo progressos significativos” afirmou Akio Toyoda, presidente da Toyota Motor Corporation.

“O anúncio do e-Palette representa um grande passo à frente na nossa evolução para a mobilidade sustentável, demonstrando a nossa expansão contínua para além dos carros e caminhões tradicionais para a criação de novos valores, incluindo serviços para clientes”, concluiu Toyoda.

A montadora também anunciou uma aliança com alguns parceiros que criará um ecossistema abrangente de suporte de hardware e software projetado para ajudar uma variedade de empresas a utilizar tecnologia de mobilidade avançada para atender melhor aos clientes.

 

Os parceiros de lançamento incluem a Amazon, a Didi (proprietária da 99 Táxis), a Mazda, Pizza Hut e Uber, que colaborarão no planejamento de veículos, conceitos de aplicação e atividades de verificação de veículos.

No curto prazo, a aliança se concentrará no desenvolvimento do e-Palette. O conceito reflete uma das visões da Toyota para aplicações de Mobilidade Automática como Serviço (Autono-MaaS). A DiDi, a Mazda e o Uber também se juntarão como parceiros tecnológicos.

Quando o sistema de condução automatizado de uma empresa parceira está instalado, por exemplo, uma outra ferramenta desenvolvida pela montadora, o Toyota’s Guardian, atuará como uma rede de segurança para ajudar a garantir uma operação adequada.

O e-Palette possui uma estrutura flexível, projetada para otimização de uso, permitindo que o veículo seja compartilhado para suportar várias necessidades de negócios e a transição de forma transparente de uma aplicação para outra.

A Toyota prevê que o e-Palette estará disponível em três tamanhos, permitindo não apenas aplicações específicas de necessidades, mas também soluções móveis de tamanho certo e direito.

No futuro, os parceiros da e-Palette Alliance poderão alavancar o e-Palette em coordenação com toda a gama de serviços MSPF ou para incorporar o veículo ao seu próprio programa de desenvolvimento de tecnologia.

O design do e-Palette Concept reflete esse compromisso de flexibilidade e parceria, com uma interface de controle aberto e um conjunto de ferramentas de software para permitir que as empresas parceiras montem seu próprio sistema de condução automatizado conforme desejado.

A Toyota planeja realizar testes de viabilidade do e-Palette Concept em várias regiões, incluindo os Estados Unidos, no início dos anos 2020. Também espera contribuir para o sucesso dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Tóquio 2020, fornecendo soluções de mobilidade como o e-Palette e outras ofertas inovadoras de mobilidade.

Fonte: Future Transport

Comentarios