Roubos e furtos nas estradas: existe prevenção?

Olá meus amigos da estrada!

A questão da segurança nas estradas é um tema que faz parte de qualquer conversa entre caminhoneiros. Seja na hora do almoço, nas paradas, no embarque ou desembarque, os motoristas sempre estão preocupados com furtos e roubos de seus caminhões e cargas. Ultimamente, com o avanço da tecnologia, os rastreadores têm sido usados para recuperarem caminhões e cargas roubadas. Apesar da ajuda desses equipamentos eletrônicos, os assaltos continuam acontecendo principalmente em regiões onde o fluxo de caminhoneiros é intenso.

Uma pesquisa realizada pela NTC&Logística sobre as estatísticas de roubos de cargas no país, foi divulgada em novembro do ano passado e apresentou uma pequena melhora neste índice. Entretanto, ainda assim o Brasil registrou, em 2010, 12.850 roubos de cargas em rodovias, volume 5% menor do que no ano de 2009, que teve 13.500 ocorrências.

No ano passado, os prejuízos com roubos foram de R$ 880 milhões para a nação. A região sudeste foi a que apresentou maior índice de roubo de cargas – 79,94%. O norte e o centro-oeste foram as regiões que apresentaram a menor taxa deste tipo de crime, com 2,03% e 2,19%, respectivamente. O nordeste representa 7,21% das ocorrências e o sul 8,63%.

Em 2011, o Estado de São Paulo registrou 6.958 ocorrências, o que representou um prejuízo de R$ 295,855 milhões. Quase 57,85% dos casos aconteceram na capital paulista. Estes dados são do Setcesp (Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas de São Paulo e Região), em conjunto, com a Fetcesp (Federação das Empresas de Transporte de Carga do Estado de São Paulo), com base nos números da Secretaria de Segurança Pública do Estado.

Já esse ano o cenário é diferente. Os dados mostram que na Régis Bittencourt, por exemplo, entre os quilômetros 336 a 370, que vão desde o Município de Juquitiba, onde começa a Serra do Cafezal até o município de Miracatu, na região do bairro “Santa Rita”, os roubos e furtos aumentaram consideralmente. Para combater esse problema as autoridades da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, convocaram uma força tarefa que, a partir de agosto, reuniu os esforços da PRF, da Polícia Militar e as forças de segurança do Estado de São Paulo.

Apesar dos dados se concentrarem no Estado de São Paulo, devido ao maior índice de roubos, os assaltos ocorrem em todo o país e acarretam enormes prejuízos aos caminhoneiros, às empresas de transporte e à sociedade. Medidas como o aumento da segurança pública e maior proteção dos caminhoneiros, bem como a melhoria das condições de trabalho de policiais rodoviários e fiscais de estrada são essenciais para se combater esse problema. Somado a isso, também podemos tomar algumas medidas que, no dia a dia, podem contribuir para a prevenção do roubo.

Seguem abaixo algumas dicas:

  • Escolha muito bem o lugar onde vai parar. Os caminhoneiros sabem quais são os pontos de parada que oferecem maiores riscos para a carga e para o caminhão. Se você é novo na profissão, converse com alguém mais experiente e sempre faça uma pesquisa prévia sobre as melhores opções de parada.
  • Evite dar caronas. A boleia é seu local de trabalho! Dar caronas deixa seu caminhão, sua carga e sua vida em situações vulneráveis, já que você pode sofrer um assalto ou ter informações sobre sua carga ou rota repassadas pelo passageiro às quadrilhas de assaltantes.
  • Faça uso da tecnologia. Quando o assunto é segurança, vale a pena investir em equipamentos eletrônicos, como rastreadores e GPS. Geralmente, tais equipamentos costumam ter um custo elevado, entretanto as associações comprometidas com a segurança do caminhoneiro e da carga podem ajudar a reduzir os preços desse aparelho e a manter a integridade do caminhão.
  • Olho na carga! Algumas cargas possuem maior incidência de roubo que outras. É o caso de equipamentos eletrônicos, alimentos, combustíveis, produtos farmacêuticos e metais. Nesse caso, organize sua rota e prefira horários que possuem maior fiscalização nas estradas.
  • Atenção com o embarcador. Não é de hoje que existem casos de interceptação de cargas previamente acordada entre embarcador e assaltante. Por isso, procure o histórico do embarcador desconhecido e fique atento às ofertas de frete muito mais elevadas que o normal. Isso pode ser uma cilada, Bino!
  • Cuidado com as rotas portuárias. As rodovias das regiões da Baixada Santista e do Vale do Ribeira, que dão acesso ao Porto de Santos, por exemplo, aparecem, neste ano, na segunda posição do ranking de roubo de cargas nas estradas do interior do Estado. Isso não acontece só no Estado de São Paulo, mas é uma realidade de outras rotas portuárias, como as que levam até Paranaguá.
  • Fique ligado no destino! Muitos assaltos acontecem quando o caminhoneiro está prestes a entregar a carga. Dados apontam que, devido ao uso cada vez mais frequenta da tecnologia de rastreamento em caminhões, os assaltantes estão roubando as cargas e veículos quando estes já estão próximos do seu destino ou dentro de perímetros urbanos. Dessa forma, ficaria mais fácil evitar o rastreamento!

Apesar das medidas de prevenção, nem sempre o esforço do caminhoneiro é suficiente para evitar os roubos e furtos. Caso isso aconteça, nunca reaja! Uma vida não tem preço e os prejuízos do roubo são meramente materiais.

No mais, fique sempre atento, fé em Deus e pé na estrada!

Até a semana que vem!

Abraço, do Chapa!

Comentarios