Quais Os Danos Causados Pelo Excesso De Carga Nos Caminhões?

A frota que atua no transporte de mercadorias pelas rodovias nacionais encontra-se em amplo crescimento, o que representa uma vantagem para o mercado. Isso quer dizer que o setor está se tornando mais competitivo e que há novos negócios em expansão para atender a demanda. Nesse cenário, a fiscalização sobre o excesso de carga é fundamental.

A prática de carregar o veículo além da sua capacidade máxima, muitas vezes, surge da necessidade de reduzir custos. Contudo, essa é não somente uma atitude ilegal, como também extremamente arriscada.

Em uma análise superficial, a economia pode parecer significativa, porém, os prejuízos para toda a operação são inúmeros. Para saber mais sobre o assunto, continue com a leitura deste artigo.

Quais são os principais problemas com o excesso de carga?

O tráfego de mercadorias é uma atividade fundamental para a economia, pois conecta produtores e consumidores em todo o território nacional. Porém, as irregularidades representam riscos tanto para a operação quanto para a vida do condutor. A seguir, saiba mais sobre esses problemas.

Representa uma infração de trânsito

A legislação nacional de trânsito é muito clara no que se refere às limitações do peso da carga e do caminhão. São estipulados dois casos, com as seguintes tolerâncias:

  • 5% sobre os limites do peso bruto total e do peso bruto total combinado;
  • 10% sobre os limites de peso regulamentares por eixo de veículos transmitidos à superfície das vias públicas.

A multa válida pode ser aplicada tanto para o embarcador, que contratou o frete, quanto para o transportador, conforme o caso. Ambos serão responsáveis solidariamente quando ficar constatado que o documento fiscal registrou o excesso de carga.

Isso quer dizer que o transportador — ou motorista autônomo — estava ciente da infração e, mesmo assim, concordou em realizar o frete. Já o motorista é penalizado com quatro pontos na carteira, e o veículo pode ser retido até que a situação seja regularizada.

O cálculo da multa é progressivo com base no peso observado em excesso e de acordo com a capacidade do veículo.

Acelera o desgaste das vias públicas

Manter as rodovias asfaltadas e em boas condições de conservação é um grande desafio para os órgãos responsáveis. As irregularidades cometidas com relação ao peso da carga adicionam ainda mais problemas que afetam a todos os usuários.

Isso quer dizer que o asfalto e o solo são submetidos a uma pressão elevada decorrente do peso. Com isso, surgem trincas, ondulações e buracos que tornam o tráfego ainda mais arriscado. A sociedade também é prejudicada, pois é preciso destinar recursos públicos para arcar com os elevados custos de manutenção e realizar os reparos.

Com o tempo, a degradação avança de trincas e fissuras para buracos de grandes proporções. A movimentação constante pode resultar, também, em afundamentos e ondulações na pista. Esse fenômeno afeta o sistema de suspensão e os eixos, diminuindo, assim, o conforto de motoristas e passageiros durante o percurso.

Aumenta os riscos durante o trajeto

O peso da carga combinado com a condição das estradas brasileiras pode resultar em problemas de natureza grave. A movimentação de mercadorias é uma operação que está sujeita a acidentes e à ação de quadrilhas especializadas em roubo de cargas. O excesso de peso pode ampliar o risco de diversos incidentes.

Uma das causas é a instabilidade do veículo, que pode resultar em tombamentos e colisões laterais. É observado que o superaquecimento é um dos motivos para a redução da capacidade de frenagem, por isso, há possibilidade de ocasionar problemas com a desaceleração em caso de emergência.

Ocasiona lentidão do transporte

Uma consequência natural dos veículos que trafegam com excedente de peso é a redução da sua velocidade durante o trajeto. Esse fator torna o processo de distribuição mais longo do que deveria. O tráfego da via também pode ser afetado, o que resulta em lentidão para quem dirige pela mesma estrada.

As baixas velocidades também podem ser uma decisão dos motoristas que tentam aumentar a sua segurança. Isso ocorre pois os sistemas de freio não respondem de forma ágil nessas condições. Assim, uma tentativa de economizar pode se converter em atrasos nas entregas e aumento dos custos com combustível.

Causa a deterioração da frota

Já ficou estabelecido como o carregamento excessivo dos veículos é uma prática nociva para a conservação das vias públicas. Além disso, o aumento das chances de acidentes constitui uma fonte de preocupação tanto para os empreendedores como para os motoristas.

Portanto, é preciso discutir o seu impacto na conservação da frota e na redução da sua vida útil. Um caminhão faz parte do patrimônio de uma empresa de transportes e viabiliza a existência do negócio, o que torna a sua conservação essencial. Quando há uma pressão devido ao peso, os principais componentes afetados são:

  • eixos;
  • molas;
  • suspensão;
  • rodas e pneus;
  • sistema de frenagem.

Aumenta o consumo de combustível

Para quem carrega os veículos além de sua capacidade, pode parecer mais econômico, pois o caminhão leva mais mercadorias e diminui o número de viagens. Contudo, essa noção está incorreta, pois resulta em um maior consumo de combustível.

Esse aumento nos custos é responsável por encarecer o preço do frete e reduzir a competitividade da empresa. Por esse motivo, atentar aos limites de carga é mais vantajoso sob o ponto de vista financeiro.

Eleva a emissão de gases poluentes

O transporte rodoviário de produtos é considerado um dos vilões da poluição e o excesso de carga contribui para agravar o problema. Com maior consumo de combustíveis, o volume de gases poluentes lançados no ar também aumenta proporcionalmente. Essa é uma questão ambiental, social e de saúde pública, que tem impacto na vida de todos.

No processo de distribuição de mercadorias de cargas, as medidas que garantem o melhor desempenho são aquelas que atendem a legislação de trânsito. A atenção aos limites de velocidade e de lotação da carga contribui para evitar a incidência de multas, acidentes e apreensões.

Para garantir a segurança nas estradas, a recomendação é eliminar o excesso de carga completamente. Com isso, o gestor pode economizar com reparos na frota, consumo de combustível e prevenção de acidentes.

Comentarios