Protestos de caminhoneiros fecham três rodovias federais em MT

Segundo a PRF, cinco trechos das BRs 364, 163 e 070 estão bloqueados.

Bloqueios ocorrem em três trechos da BR-364 em Rondonópolis (Foto: Divulgação/PRF-MT)

Cinco trechos das BRs 364, 163 e 070, em Rondonópolis, Nova Mutum e Primavera do Leste, estão bloqueados por caminhoneiros, nesta terça-feira (17). Os manifestantes protestam contra a queda no preço pago aos motoristas pelo frete, que, segundo eles, seria de cerca de 30% em relação ao ano passado.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), estão bloqueados os trechos dos quilômetros 201, 206 e 210 da BR-364, em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá; o km 593 da BR-163, em Nova Mutum, a 269 km da capital, e o km 283 da BR-070, em Primavera do Leste, a 239 km de Cuiabá.

Na BR-364, em Rondonópolis, o protesto começou na semana passada e nos três trechos bloqueados não está sendo permitida a passagem de veículos de carga. Não há nenhuma alternativa de desvio nesse trecho. Conforme a PRF, o bloqueio é feito por integrantes do Movimento dos Transportadores de Carga (MTG), que cobram a implantação de uma tabela mínima nos valores dos fretes.

Já na BR-163, em Nova Mutum, o bloqueio teve início nesta segunda-feira (16). A via foi parcialmente bloqueada. Os caminhoneiros estão impedindo somente o tráfego de veículos de carga. O ato também coordenado pelo Movimento dos Transportadores de Carga (MTG) conta com a participação de aproximadamente 50 pessoas, de acordo com a PRF.

O bloqueio na BR-070, em Primavera do Leste, teve início na manhã desta terça-feira. A PRF informou que um grupo de 12 motoristas está impedindo o tráfego de caminhões e carretas pela rodovia.

“Não estamos tendo condições de trabalhar por causa baixo custo do frete. Estamos cobrando que as transportadoras paguem o piso mínimo que é estabelecido pela Sefaz [Secretaria Estadual de Fazenda”, afirmou Gilmar Marinho, que participa da manifestação.

Os caminhoneiros também manifestam apoio ao Projeto de Lei 528, que tramita na Câmara Federal, e prevê a criação da Política de Preços Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas, a qual deve estabelecer um custo mínimo para o frete.

Fonte: G1

Comentarios