Primeiro e-Delivery começa a operar no transporte de bebida

VW E-DELIVERY
Foto: VWCO

Parceria da Volkswagen com a Ambev envolve fornecimento de 1.600 caminhões elétricos até 2023

Após uma etapa inicial de testes, a Volkswagen Caminhões e Ônibus fez a entrega oficial do primeiro caminhão 100% elétrico e-Delivery para a Ambev. O modelo passa a agora a integrar a frota da empresa na distribuição de bebidas na cidade de São Paulo e segue contribuindo com a montadora no desenvolvimento do veículo.

Inédito na América Latina como o primeiro caminhão leve movido a energia limpa, com zero emissão de poluentes, o modelo faz parte de recente memorando de intenção de compra de 1.617 unidades pela cervejaria até 2023, anunciado em agosto.

“A partir de agora faremos entregas pontuais com os aperfeiçoamentos do projeto de acordo com as demandas e as percepções da Ambev”, conta Roberto Cortes, presidente e CEO da VWCO. “A projeção é de que em 2020 o e-Delivery entre em produção em série.”

Na parceira entre a montadora e a Ambev, o e-Delivery é somente um item de um modelo de negócio em construção. Além do entendimento de que a entrega do caminhão perde o status de intenção para ganhar o de contrato, as empresas buscam viabilidade econômica para a operação que agora se inicia.

“Fato que o caminhão ainda precisa ser rentável. A Ambev quer o melhor preço e, nós, o maior lucro”, afirma Cortes. “Mas vamos encontrar acordos sustentáveis, que envolvem aspectos de carregamento de energia e o que fazer com as baterias ao fim de sua vida útil.”

Publicidade:

anuncio

Custo da bateria se apresenta como o principal obstáculo para conta fechar e deixar algum no caixa. Segundo Ramon Alcaraz, presidente da Fadel, operadora logística da Ambev escolhida para a fase piloto de teste, a rentabilidade da operação com o elétrico ainda não paga o investimento. “Uma estimativa preliminar é de que o valor inicial não ultrapasse quatro vezes do preço de um caminhão convencional para retorno em seis ou sete anos.”

Alcaraz, no entanto, não tem dúvida de que a viabilidade econômica não de uma questão de tempo, diante de vantagens operacionais já colocadas, como maior disponibilidade do veículo diante da necessidade de menos manutenção e aumento de produtividade, afinal, é um caminhão silencioso e vibra menos. “O ganho de conforto do motorista é indiscutível. Não vai precisar mais trocar marchas no trânsito urbano.”

O e-Delivery entregue pela VWCO já uma segunda versão daquela apresentada no ano passado na Fenatran. O caminhão agora tem capacidade para 13 toneladas em versão, enquanto a anterior era para 11 toneladas e tração 4×2. O modelo entrega autonomia para 200 km, alcance suficiente para cumprir as rotas urbanas da Ambev, marcadas por operações de 70 km a 150 km diários.

Em corrente contínua, de alta tensão, o e-Delivery precisa de apenas 3 horas para estar totalmente carregado. No projeto da Ambev, um centro de distribuição da empresa localizado no bairro paulistano da Mooca, há um sistema de armazenamento de energia solar que serve para abastecer o dispositivo carregador Super Charger e, assim, carregar o caminhão.

Segundo a Ambev, a fase inicial de testes se mostrou promissora. Guilherme Gaia, diretor de suprimentos e sustentabilidade da empresa, ao longo de trinta dias, o e-Delivery percorreu quase 1 mil quilometro, fez 369 entregas, somando perto de 150 toneladas de mercadorias, entre refrigerantes e cervejas.  “Além eliminar da operação material particulado e emissão de óxido de nitrogênio, já economizamos duzentos litros de diesel.”

O e-Delivery também faz parte de amplo compromisso de sustentabilidade da Ambev, que tem como meta reduzir em 25% as emissões de carbono ao longo de toda a sua cadeia de valor.

Fonte: Estradão

Comentarios