Presidente da CNT critica falta de diálogo do governo em relação ao Sistema S

Clésio Andrade afirma que se houver corte de verba, trabalhadores do setor serão prejudicados; para ele, sem negociação, governo parece arbitrário

O presidente da CNT e dos Conselhos Nacionais do SEST e do SENAT, Clésio Andrade, considera que uma decisão arbitrária, de redução do financiamento do Sistema S, vai prejudicar o funcionamento do SEST SENAT e os trabalhadores do setor de transporte.
Ele destacou a situação dos caminhoneiros, que já estão prejudicados pelo não cumprimento da tabela de frete, pelas variações do preço do diesel e pelas más condições das rodovias. Com cortes no Sistema S, podem ficar sem treinamentos e sem assistência à saúde.

Publicidade:



“Entendemos que o governo deveria chamar as Confederações e abrir um diálogo. Até agora, não se abriu nenhum diálogo. Está parecendo um governo arbitrário”, afirma Clésio Andrade, ao reforçar que o setor está aberto à negociação.

Clique aqui para ouvir a íntegra do áudio do presidente da CNT, Clésio Andrade. ​

Agência CNT de Notícias

Comentarios