Preços do diesel, da gasolina e do gás de cozinha sofrem novo reajuste nas refinarias

Esta é a primeira alta registrada pela empresa, após o general Joaquim Silva e Luna assumir a presidência da Petrobras. (Foto: reprodução/Petrobras)

Preços do diesel, da gasolina e do gás de cozinha sofrem novo reajuste nas refinarias

Alterações valem a partir desta terça-feira (06), seguindo a política de preços da Petrobras

Redação Chico da Boleia

A Petrobras anunciou novo reajuste nos preços dos combustíveis e do gás de cozinha, válidos a partir desta terça-feira (06). De acordo com a estatal, as alterações acompanham o aumento nos patamares internacionais dos valores do petróleo e derivados – seguindo a política de Preço de Paridade por Importação (PPI).

Esta é a primeira alta registrada pela empresa, após o general Joaquim Silva e Luna assumir a presidência da Petrobras.

Segundo a estatal, o litro do diesel terá um aumento médio de R$ 0,10 (3,7%), passando a custar R$ 2,81 nas refinarias. Já o litro da gasolina será de R$ 2,69 – uma média de R$ 0,16 (6,3%) de acréscimo no valor.

O gás de cozinha (GLP) também sofre reajuste e as distribuidoras pagarão a partir de hoje (06) R$ 3,60 por quilograma (kg), ou seja, um aumento de R$ 0,20 por kg em comparação ao último valor cobrado.

Para os importadores representados pela Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom), que trabalham com importação de diesel e gasolina, o mercado permanece em defasagem.

– Apesar de ainda existirem defasagens, em relação às PPIs (paridades de preço internacionais) que calculamos, o anúncio feito pela Petrobras sinaliza que está buscando seguir a paridade internacional – afirma o presidente da Abicom, Sérgio Araújo.

Já a Petrobras informa que “evita repassar imediatamente a volatilidade externa aos preços do mercado interno, mas busca o equilíbrio de seus valores com o mercado internacional e a taxa de câmbio”.

CNTRC se manifesta sobre novo reajuste

Em documento divulgado à imprensa pelo Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC), a entidade reafirmou a confiança no general Joaquim Silva Luna, apesar “da surpresa e descontentamento com o anúncio de reajuste nos preços dos combustíveis pela Petrobras”.

No último mês, representantes do Conselho se reuniram com o novo presidente da estatal para apresentar uma alternativa a política de preços aplicada atualmente pela empresa, tendo como base o Preço de Paridade de Exportação (PPE), visando não prejudicar os consumidores.

Ainda de acordo com a nota, o CNTRC solicita a suspensão dos reajustes anunciado pela Petrobras, até que as negociações sejam concluídas.

*Com informações da Agência Brasil e Abicom

Comentarios