Pequena grande paixão Scania

scania20

Aos 11 anos, Brenda herdou do pai o gosto por caminhões e sonha em trabalhar na Scania

Na infância, geralmente é assim: meninos gostam de carrinhos e meninas, de bonecas. Mas, se toda regra costuma ter exceção, Brenda Locatelli é uma delas. Aos 11 anos, estudiosa, curiosa e muito comunicativa, ela não esconde a paixão que desenvolveu pela Scania ao acompanhar seu pai na estrada, desde bem pequena. “Quando chegamos na fazenda, eu fico vendo descarregar o caminhão ou faço um passeio por lá. Minha primeira viagem foi aos três anos, fui e voltei no mesmo dia. Aos cinco eu fiz minha viagem mais longa, de cinco dias, e fiquei muito feliz. Sempre gostei de perguntar sobre os tipos de caminhão e assim fui aprendendo com meu pai”, conta, animada.

Quando comprou seu primeiro Scania usado e deixou Palmeiras das Missões (RS) rumo a Goiás, Sidiney Locatelli não imaginava que, da sua profissão, surgiria uma paixão tamanho família. E, se o interesse de Brenda pelo assunto deixa o pai orgulhoso, na escola a repercussão é um pouco diferente, mas não a incomoda. “Os meninos ficam rindo e dizendo que meninas não gostam de caminhão, que meu interesse é estranho. Até fico brava algumas vezes, mas falo que o que eles pensam não me importa. Não dou bola porque eu amo caminhões e a Scania, e isso foi passado pelo meu pai.”

scania23

Ainda longe de se formar no segundo grau, Brenda já sabe no que vai investir para ter o emprego dos sonhos. Inspirada na vendedora Renata Mayani, da Casa Scania Varella, de Rio Verde (GO), que atende a empresa da família há dois anos, ela faz um discurso de coração. “A Renata me inspira, é quase como uma pessoa da minha família. Quero fazer administração de empresas para realizar meu sonho de trabalhar representando a Scania. Quero fazer o mesmo que a Renata quando vem aqui em casa e falar da qualidade da marca. Hoje, se eu fosse vender um Scania, diria que tem as melhores peças e com pouquíssimo gasto com mecânica. Os caminhões são fortes para puxar vários tipos de coisas, além de serem bonitos. Meu pai gosta quando falo que quero trabalhar lá. Ele diz que eu tenho que ser muita dedicada nos estudos”, conta a pequena.

Relação carinhosa

Suzana Locatelli, mãe de Brenda, fala sobre como a CB Locatelli, transportadora de grãos da família, prosperou nos últimos anos. “O Sidiney começou com apenas um caminhão, quando viemos do Sul. Há três anos, com três veículos, abrimos a transportadora. Escolhemos a Scania por causa da qualidade dos caminhões e do desempenho acima da média das outras marcas, sem falar na qualidade das peças e no ótimo atendimento da assistência técnica.” Suzana e Sidiney são casados há 26 anos. Dessa união, também nasceu Tamires Locatelli.

scania12
Dentre toda a frota, atualmente composta por cinco veículos, o recém-adquirido modelo R 440 Streamline 6×2, azul, é o xodó de Brenda, que surpreendeu a vendedora Renata ao enviar uma carta de agradecimento. “Nesse novo, tem uma cama e uma beliche que meu pai colocou para mim. Eu adoro. Foi a primeira vez que eu escrevi uma carta para alguém da Scania. Eu considero muito a Renata. Antes tinha o Barbosa, que também era meu amigo, conversava comigo e até me dava brindes da Scania. Depois que ela apareceu, eu passei a gostar muito dela também.” A vendedora conta que se emocionou com a mensagem: “Achei a cartinha muito fofa, são essas coisas que estreitam  relacionamentos. É o diferencial da equipe Scania.”

Fonte: Scania

Comentarios