Nova concessão injetará R$ 14,8 bilhões em investimentos nas rodovias Presidente Dutra e Rio-Santos

Para o ministro Tarcísio de Freitas, a nova concessão vai impulsionar o desenvolvimento econômico da região. (Foto: divulgação/Grupo CCR/MInfra)

Nova concessão injetará R 14,8 bilhões em investimentos nas rodovias Presidente Dutra e Rio-Santos

Leiloadas em 2021, BRs-101/116/RJ/SP serão administradas conjuntamente pelo grupo CCR e modernizadas com uma série de intervenções ao longo dos próximos 30 anos

O setor de Infraestrutura deu início à contagem regressiva para a entrada em vigor do maior contrato de concessão rodoviária já firmado na história do país. Nesta semana, o Governo Federal repassa oficialmente à iniciativa privada a gestão conjunta de duas das principais estradas brasileiras. Pelos próximos 30 anos, as rodovias Presidente Dutra e Rio-Santos (BR-101/116/RJ/SP) serão administradas pelo Grupo CCR, que venceu leilão promovido pelo Ministério da Infraestrutura em outubro de 2021.

A concessionária deve investir, ao longo da concessão, R$ 14,8 bilhões na modernização das duas vias e aplicar outros R$ 10,8 bilhões em serviços operacionais que beneficiarão os 46 municípios do Rio de Janeiro e de São Paulo, localizados em suas áreas de influência. Para marcar o início das operações, um evento será realizado no dia 4 de março, com a participação do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e representantes do Grupo CCR.

Para Tarcísio de Freitas, a nova concessão vai impulsionar o desenvolvimento econômico da região. “A Dutra transporta 50% do PIB [Produto Interno Bruto] do país. As regiões metropolitanas do Rio e de São Paulo, juntas, concentram R$ 1 trilhão do PIB nacional. Fazer os investimentos que essas estradas federais, duas das principais do país, merecem e trazê-las para o século 21 representa mais segurança ao usuário e melhores condições de escoamento da produção brasileira rumo aos portos do Sudeste. É mais riqueza e emprego para a população”, destaca o ministro.

O que vem por aí

– A projeção é que as intervenções previstas nessa concessão resultem na abertura de mais de 218 mil vagas de trabalho, ao longo do contrato – acrescentou. Entre os pontos altos do novo projeto, estão quase R$ 1,5 bilhão a serem aplicados somente na região de Guarulhos (SP) para solucionar gargalos e facilitar o acesso ao aeroporto internacional de São Paulo, e outros R$ 1,2 bilhão para a nova Serra das Araras, cuja subida ganhará nova pista duplicada.

No total, serão 590 quilômetros de faixas adicionais para ampliação de capacidade das rodovias; 80 quilômetros de duplicação da BR-101, da cidade do Rio de Janeiro a Angra dos Reis; 144 dispositivos e interseções nas vias marginais para facilitar o acesso aos municípios ao longo das estradas; construção de centenas de estruturas operacionais e quatro pontos de descanso para caminhoneiros (três na Dutra e um na Rio-Santos).

Iluminação em LED, wi-fi para emergência, monitoramento dos trajetos com câmeras automáticas para identificação de incidentes, além da implantação o sistema de cobrança de pedágio sem parada, por livre passsagem (free flow) — em Guarulhos (SP) –, programa de neutralização de emissões de poluentes, e da tecnologia iRap (padrão internacional) para redução de acidentes, estão entre as inovações que serão adotadas nas novas Dutra e Rio-Santos.

Fonte: Assessoria Especial de Comunicação – Ministério da Infraestrutura

Comentarios