Mais de 100 policiais participam de treinamento de fiscalização de cargas

treinamento_policiasGarantir eficiência na abordagem dos veículos de cargas para melhor vistoria da legalidade fiscal e se a carga e o veículo não advêm de roubos foi o objetivo do Primeiro Treinamento Sobre Documentos Legais para o Transporte Rodoviário de Cargas.

Essa ação resulta das reuniões do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) da Secretaria de Segurança Pública (Sesp) com o Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas de Mato Grosso (Sindmat). “É uma parceria que ajudou e está ajudando na execução de políticas ostensivas para o combate ao roubo de cargas e, consequentemente, inibe a sonegação fiscal”, destacou o secretário executivo do GGI, tenente-coronel PM Heverton Mourett.

O curso foi ministrado no Sest/Senat, em dia 18 de fevereiro, para 125 agentes das Polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal e agentes de trânsito, do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e Guarda Municipal.

Para a tarefa de repassar conhecimentos sobre a documentação exigida para o transporte de cargas , o Sindmat convidou Adauto Bentivegna Filho, advogado especialista na área tributária do setor de transporte de cargas. Por lei, alguns documentos fiscais devem ser emitidos e acompanhar as mercadorias durante seu transporte, os mais comuns são: NF-e – Nota Fiscal Eletrônica e CT-e – Conhecimento de Transporte Eletrônico. Em determinados casos também deve-se utilizar o MDF-e – Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais, entre outros.

Os documentos exigidos para o transporte rodoviário de cargas é algo novo para muitos policiais. “Os documentos são suporte para identificação de alguma ilegalidade. Numa abordagem, é necessário checar principalmente a nota fiscal do produto transportado e o conhecimento do transporte, que acoberta o transporte, indicando a origem e o destino da carga. Dados incorretos podem indicar algum tipo de crime”, explicou Filho.

Assessor de segurança da Associação Nacional do Transporte de Cargas & Logística (NTC&Logística), Coronel Paulo Roberto de Souza, apresentou características comuns em ações de roubos de cargas. Segundo ele, de 2014 para 2015 os roubos em Mato Grosso aumentaram 25%. “Com a crise econômica, a tendência é aumentar a incidência de roubos”, disse o coronel Souza.

A Pamcary e a Rondon, empresas de gerenciamento de riscos, apresentaram tecnologias e serviços para segurança de veículos e cargas.

Para o presidente do Sindmat, Eleus Vieira de Amorim, a parceria com a Secretaria de Segurança Pública e empresas e instituições ligadas ao transporte tem gerado bons resultados. “Lógico que o crime não vai acabar, mas o seu combate será mais eficiente a partir desse treinamento. O Sindmat tem o objetivo de atuar como agente de apoio às ações das Polícias. Trabalhamos com o intuito de proteger não só as cargas e veículos, mas também nossos motoristas”, disse Amorim.

Também participaram do evento: o diretor-geral da Polícia Judiciária Civil, Adriano Peralta; o superintendente da Polícia Rodoviária Federal, Kellen Arthur Nogueira; e o secretário municipal de Mobilidade Urbana, Thiago França.

Fonte: Portal NTC / Sindmat

Comentarios