Justiça veta bloqueios em estradas de SP e impõe multa de R$ 20 mil por hora

A Justiça proibiu ontem o Movimento União Brasil Caminhoneiro (MUBC) de fazer manifestações que bloqueiem estradas paulistas ou seus acessos. Caso a determinação seja descumprida, os motoristas terão de pagar R$ 20 mil por hora de interdição. Em resposta, caminhoneiros pretendem andar em velocidade reduzida hoje.

Uma medida judicial semelhante já estava valendo para as “rodovias federais desde anteontem com base em decisão da Justiça Federal do Rio. Ontem, a Advocacia-Geral da União (ÁGIJ) também conseguiu liminar em Minas, prevendo a proibição. Lá, os manifestantes que insistirem em bloquear rodovias poderão ser sentenciados a pagar multa de R$ 100 mil/dia. Os caminhoneiros de São Paulo devem cumprir a decisão judicial, mas prometem não parar com os protestos. Motoristas que organizaram bloqueios nas Rodovias Castelo Branco e Anchieta anteontem dizem que farão “operação tartaruga” a partir das 6h de hoje. Em vez de parar os veículos, vão circular em velocidade baixa pelas Marginais e por estradas.

O objetivo das manifestações é pedir a redução nos preços dos pedágios e do óleo diesel, mais segurança para os caminhoneiros que circulam à noite e mudanças na lei que regulamenta a profissão dos motoristas. Inicialmente, o MUBC convocou protestos até 6h de amanhã. O movimento não tem apoio nem dos sindicatos que representam os trabalhadores de transportes nem daqueles que reúnem os empresários.

O governo do Estado pretende multar e guinchar veículos que ficarem parados nas estradas. Ontem de manhã, a Tropa de Choque interveio para desobstruir a Rodovia Cônego Domenico Rangoni, onde o bloqueio durou 24 horas.

Baixada e interior.

Os manifestantes alegam que terminariam o protesto pacificamente, se não fosse a PM. Os dois sentidos da rodovia foram desbloqueados às 10h. A ação da Tropa de Choque durou cerca de 10 minutas e foram usadas bombas de efeito moral. Segundo caminhoneiros, a PM utilizou também balas de borracha (que são proibidas). A corporação não confirmou essa informação. Ainda na manhã de ontem, a Via Anchieta tinha ao menos 4 km de congestionamento, na altura do km 60, no sentido Santos. Os caminhoneiros fecharam o trânsito em vários pontos de acesso ao Porto de Santos. Na entrada da área portuária pela Anchieta havia três bloqueios, que terminaram pacificamente. Moradores da região também participaram do protesto na Anchieta e fizeram uma barricada no km 63, sentido Santos, com pneus em chamas. A pista só foi liberada às 11h30.

Às 20h30, a pista expressa da V ia Dutra teve tráfego bloqueada na região de São José dos Campos, nos dois sentidos. O fluxo foi desviado para a Marginal, na altura do km 146. Pouco antes, a Tropa de Choque impediu a interdição da SP264 em Sorocaba.

O Estado de S. Paulo

Comentarios