Inteligência artificial a favor do setor de transporte

Conheça a Arbache, startup que leva inteligência artificial para dentro das empresas

A cada dia mais, as empresas utilizam ferramentas de inteligência artificial para avaliar o perfil dos seus empregados, desenvolver estratégias e, também, monitorar e criar novos métodos de trabalho. Além da inteligência artificial, outra ferramenta que vem unificando os processos é a gamificação, que é o uso de técnicas, estratégias e design de games que ajudam a trazer engajamento, produtividade e foco, simplificando metas e objetivos ao setor de transporte. Essa é a proposta da Arbache Innovations, uma das cinco vencedoras do Conecta, Programa de Impulso a Startups, realizado pela CNT (Confederação Nacional do Transporte) e pelo BMG UpTech em parceria com a FDC (Fundação Dom Cabral), a Nxtp.Labs e a Bossa Nova Investimentos.

Fundada em 2008, a empresa atua no segmento de treinamento de recursos humanos, desenvolvendo simuladores de inteligência artificial e redes neurais para emprego em consultorias e em jogos de negócios –  jogos eletrônicos de simulação utilizados como ferramenta educacional para treinamento em gestão em diferentes áreas, como finanças, comportamento organizacional e recursos humanos. A startup ainda trabalha com uma plataforma de mentoring que liga profissionais de diversas áreas aos mais renomados coaches e mentores do Brasil e do mundo.
Alexandre Azevedo, CEO da Arbache, destaca que a empresa consegue, por meio da análise de inteligência artificial, entender como as pessoas estão trabalhando na sua área específica, além de verificar suas capacidades e competências em relação ao seu trabalho. “Podemos fazer um diagnóstico do perfil dos motoristas de caminhão e contribuir para ter um profissional que gere mais segurança nas estradas, executando a forma correta de frear e acelerar, por exemplo. Com isso, conseguimos prever um determinado tipo de comportamento. Também podemos diagnosticar as pessoas mais capacitadas para cada modal, alguém que possa ser um trabalhador melhor no modal aéreo, por exemplo, de acordo com o seu perfil.”
Azevedo ainda frisa que, com a análise de inteligência artificial, é possível desenvolver e prevenir ações que possam gerar risco. “Podemos melhorar a capacidade da pessoa de acordo com esse perfil. Com a análise de tendências comportamentais, conseguimos antecipar determinadas situações. Como um piloto em uma determinada situação de voo, podemos saber, antes, qual tipo de ação é necessário para aquela situação e qual o perfil do piloto para executá-la”, conclui.

Publicidade:



Além da análise de inteligência artificial, a Arbache também oferece um game customizável, tanto no visual como no conteúdo, adaptado às características da empresa que irá aplicar o game, para atender a treinamentos e diagnosticar ou entreter os usuários. Por meio de mecanismos como pontuação, conquistas e ranking, é possível identificar os conhecimentos técnicos e comportamentais de que uma empresa carece para tornar-se mais competente nos processos comerciais, operacionais, de marketing, cultura organizacional ou qualquer outra área desejada.
A Arbache e outras quatro vencedoras passaram o mês de novembro nos Estados Unidos, na sede da empresa Plug and Play, no Vale do Silício, onde participaram de treinamentos, palestras e contatos com investidores para que possam adentrar em mercados internacionais. Ao longo de um mês, as startups participaram de treinamentos e palestras e também tiveram contato com investidores para que possam adentrar em mercados internacionais. Elas também participaram de eventos na Expo North America (maior feira para promoção e comercialização de produtos do setor na América do Norte), onde tiveram interação com conteúdos como IOT (Internet das Coisas), Big Data e Blockchain, e também tiveram reuniões com representantes da Apex -Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) e da Gerdau.
Além da Arbache, estiveram presentes na imersão no Vale do Silício a ByeBnk, especializada em soluções financeiras em blockchain; a dLieve Tecnologia Logística, plataforma de gestão em tempo real de entregas; a Everlog, plataforma de gestão de fretes para o embarcador, com foco na recuperação de valores pagos indevidamente; e a Trackage, que faz monitoramento inteligente de processos, empilhadeiras, tratores e cargas. Além das cinco vencedoras, outras duas startups foram aos Estados Unidos como convidadas: a Biosolvit, soluções em biotecnologia; e a Órbita Tecnologia, que oferece solução para o modal ferroviário. As duas convidadas não receberam investimentos.
Quer conhecer as novas tecnologias para o setor de transporte impulsionadas pelo programa? É só acessar o site do Conecta​​

Agência CNT de Notícias

Comentarios