Entenda como acontece a recauchutagem dos pneus

Os pneus são parte fundamental de qualquer veículo automotor. A integridade desses itens é de suma importância não só para o funcionamento dos veículos, mas também para garantir a segurança do motorista e de terceiros. Por essa razão, pneus carecas e mal calibrados podem significar um risco eminente para os motoristas.

Atualmente a maioria dos caminhões roda com pneus recapados ou recauchutados. Tais processos favorecem o consumidor visto que reformam os pneus e proporcionam melhor custo benefício. Nós da estrada sabemos o quanto é caro comprar pneus novos para caminhões e carretas. Mas, você sabe como funciona o processo de recauchutagem?

A etapa inicial de todo o processo de recauchutagem de pneus começa com a “Inspeção”. É nesse momento que os pneus são vistoriados visualmente e também por meio de equipamentos específicos que medem pressão, realizam ultra-sonografia, indução elétrica e outros testes. A inspeção inicial é importate para que sejam medidos os níveis de desgate dos pneus a serem recauchutados. Tal avaliação também diminui os custos de produção.

A preparação da carcaça do pneu constitui a fase seguinte. Nela, prepara-se os pneus para receberem as condições de processamento. Para tanto, um torno semi ou totalmente automático raspa as peças para devolver a elas a sua simetria. Após a raspagem, os pneus passam por um processo de escariação para a retirada de qualquer resíduo de contaminação.

A etapa dos consertos vem logo depois e é de suma importância. Isso porque, hoje em dia, os pneus possuim diversos modelos como diagonais, radiais, sem câmara, etc. Nesse trabalho, os técnicos devem ser bem treinados, já que os maiores índices de problemas durante a reforma de pneus encontra-se nesta fase de todo o processo.

Após realizados os consertos, vem a construção dos pneus. Nesta fase, também conhecida como processo “pré-curagem”, a banda de rodagem é preparada e é aplicada juntamente com o coxim de ligação. A vulcanização com Pré-curado vem logo depois, quando finalizado o processo de construção do pneu (pneu + banda de rodagem). Nesta etapa, o material é colocado dentro de um envelope de borracha e montado em uma roda especial, para então ser levado para o autoclave.

O ar quente que circula por dentro dos pneus é responsável pela retirada de imperfeições e evitar bolhas. Esse processo de vulcanização tem seu tempo e temperaturas controlados para que a banda de rodagem seja devidamente incorporada à carcaça do pneu.

Após os processos anteriores acontece a inspeção final. Nela, o pneu reformado é vistoriado visual e mecanicamente. É nesta etapa que qualquer imperfeição e falha deve ser detectada e corrigida. Após a aprovação dos vistoriadores, o pneu reformado está pronto para ser comercializado e instalado em veículos.

Os pneus, juntamente com os freios e amortecedores são partes fundamentais de qualquer veículo. Erro na calibragem, pneus carecas e desalinhados podem interferir na estabilidade, frenagem, no conforto e, obviamente, na segurança.  Para um desempenho seguro, os pneus não devem apresentar nenhum tipo de deformação ou anomalia e manter a pressão adequada dos pneus – e também indicada pelo fabricante – é essencial.

Quanto aos pneus reformados, é imprescindivel que, antes da compra, o consumidor fiscalize se o produto está de acordo com as normas técnicas e foi re-produzido por uma indústria especializada e de confiança. A segurança de você, caminhoneiro, e dos terceiros que rodam ao teu lado pelas estradas, também depende disso!

Boa viagem!

Abraço do Chapa!

Fonte técnica: Goodyear Pneus.

Comentarios