Chico da Boleia faz visita à fábrica da Librelato em Santa Catarina

Com uma história de mais de 40 anos, a Librelato se consolidou no mercado nacional como uma das empresas mais importantes na produção e comercialização de implementos rodoviários.

Com um histórico que acumula prêmios na área de gestão de qualidade e serviços, a Librelato também sabe reconhecer o esforço e o trabalho dos seus profissionais. No início de dezembro, a empresa homenageou colaboradores das unidades de Criciúma, Içara e Orleans pelo Programa Crescendo com a Librelato.

No início deste mês, Chico da Boleia teve a grande oportunidade de conhecer a fábrica da empresa em Orleans, Santa Catarina. Durante a visita, José Carlos Sprícigo, CEO da empresa, ressaltou uma história de muita luta e conquistas.

“A Librelato foi uma empresa construída por uma família. Em 1980 nos mudamos para Orleans e começamos, além dos implementos, a distribuir autopeças. Com o crescimento nos consolidamos no setor de implementos, fazendo reformas e nos especializando. É uma história de muito trabalho e claro que o grande pulo da Librelato começa em 1998 quando entramos no mercado de semirreboques basculante.”, explicou Sprícigo.

Sobre estarem tantos anos no mercado e haver enfrentado tantos momentos de dificuldades, Sprícigo afirmou que o segredo é sempre preservar a essência de uma empresa. “Também é necessário preservar o caixa, tendo saúde financeira. Nós trabalhamos com um viés de vanguarda, trazendo novidades para enfrentar esses momentos. Neste ano tivemos uma queda significativa no crescimento da indústria, mas o Brasil é um país de muitas oportunidades e é com esse foco que a Librelato busca trabalhar”.

Chico da Boleia também conversou com Aloir Librelato, Presidente do Conselho de Administração e membro da família fundadora da empresa. “Nós iniciamos há 47 anos atrás, nós somos uma família de 11 irmãos, sendo 8 homens e 3 mulheres. E a ideia do meu pai era montar um negócio para que a gente não dependesse de trabalhar como funcionário”, explicou.

No início, a produção da Librelato era baseada em carrocerias de madeira. Com o crescimento, reformas de carretas e a incorporação de novas matérias primas ampliou a atuação no mercado nacional.

Apesar da produção da linha pesada ter se deslocado para outras cidades, Aloir afirma que a relação da Librelato com Orleans é muito especial. “Aqui é a nossa terra. Não temos nenhum problema em produzir a linha leve aqui, os produtos se deslocam, eles chegam a outra parte do país”, expressou.

Para o futuro, Aloir vê expectativas muito boas. Ao contrário do que aconteceu no passado, quando foram enfrentados momentos muito difíceis, agora as condições são outras. “Nós vemos muitas perspectivas de crescimento, apesar da má fase. Se imaginarmos o Brasil há 30 anos e hoje, só não vê as melhoras quem não quer. Esse momento vai nos deixar mais forte se soubermos aprender com os erros.”, concluiu Aloir.

Durante a visita técnica realizada por Chico da Boleia, foram conhecidos os processos de produção da empresa. Quem acompanhou a visita foi o engenheiro Fabiano Gastaldon, quem explicou como são selecionados os produtos produzidos pela empresa.

De acordo com o engenheiro, uma reunião para a eleição do portfolio é feita e a partir dela são selecionados os produtos a serem produzidos. Durante esses encontros, que ocorrem trimestralmente, também são geridas as inovações que serão lançadas no mercado.

“Realizamos uma pesquisa de mercado para saber quais as expectativas do nosso cliente. A partir das decisões, os projetos chegam ao setor da engenharia, que é composto por 24 engenheiros que se envolvem no desenvolvimento dos produtos”, explicou Gastaldon.

A Librelato atua nas linhas pesada, leve, de usados e de peças. Dentre os produtos produzidos e comercializados estão semirreboques fechados de alumínio, articulado basculante para 6 eixos e carrega tudo para 4 eixos. Além disso, o portfólio da marca contém semirreboques articulados e tanque.

Na linha de produtos para o segmento leve, a Librelato oferece soluções para transporte de cargas e também para coleta de resíduos, além de carrocerias para guindaste e plataforma para auto socorro.

Já na área de peças, a marca atua com abraçadeiras, adaptadores, amortecedores, aros, arruelas, bomba hidráulica, pés mecânicos, dentre muitas outras opções que compõem o portfolio.

De acordo com o engenheiro Gastaldon, todos os produtos produzidos pela Librelato são testados previamente. “A gente se diferencia pela questão da qualidade. A gente acaba dando uma atenção especial para isso, porque nosso volume é um pouco menor que a concorrência. Nós temos uma área de engenharia totalmente voltada para isso”, explicou.

Outro ponto alto da marca é a questão da inovação. Há três anos, a Librelato vem apresentando novas soluções para o mercado brasileiro, abrindo frentes e se destacando frente à concorrência.

Pedro Bolzzoni, diretor comercial e de marketing, ressaltou que existem novas estratégias para o ano de 2016. Futuramente, a empresa espera estar muito mais próxima dos clientes. Durante a Fenatran, a Librelato apresentou uma série de novidades, dentre elas os basculantes totalmente remodelados.

Para Bolzzoni estes novos produtos irão permitir que a marca participe com mais força do mercado brasileiro no próximo ano. “Nossa ideia é se aproximar dos pequenos e grandes clientes e ouvir o que eles têm a nos dizer. Apesar do atual momento, acreditamos que podemos nos fortalecer com essas dificuldades e abrir novas possibilidades de negócios”.

PERSPECTIVAS PARA 2016

Comentarios