Caminhoneiro diz que é obrigado a participar da paralisação

Foto: Aniele Nascimento/Futura Press / Divulgação

Caminhoneiros que não querem aderir à paralisação iniciada na última segunda-feira são obrigados a participar do movimento. Quem tenta seguir viagem pelas estradas de Minas Gerais é intimidado e tem o veículo apedrejado. A denúncia foi feita à reportagem da Itatiaia por um caminhoneiro. Com medo, ele não quis se identificar. “No momento que eles pedem para parar, eles já estão intimidando. E a gente já é ciente de outras vezes que aconteceu esse tipo de movimento, que eles apedrejam os veículos, eles intimidam”, disse o motorista.

 Durante a greve, alguns motoristas bloqueiam as rodovias de forma parcial. Veículos de passeio e ônibus não impedidos de seguir viagem. A situação é diferente quando trata-se de veículos de cargas. “A gente não tá aqui porque quer, a gente tá aqui intimidado”, destacou o profissional, que denuncia também falta de estrutura mínima para permanecer parado na rodovia. Segundo ele, os caminhoneiros que estão afastados das áreas urbanas e dos postos de gasolina convivem com a falta de comida e água. “Nós estamos na beira da estrada. Aqui não tem nada”, reclamou.

Nessa terça-feira, a Justiça Federal determinou o desbloqueio das rodovias federais no estado de Minas Gerais interditadas por caminhoneiros. A decisão é relacionada às manifestações organizadas pelo Sindicato dos Transportes Autônomos de Carga e pela União Geral dos Trabalhadores de Minas Gerais. Em caso de descumprimento, as entidades deverão pagar multa de R$ 100 mil por hora.

Apesar da decisão, trechos das BR 040 e da Fernão Dias continuam parcialmente fechados na manhã desta quarta-feira. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), veículos de carga não circulam no km 650 da 040, em Cristiano Otoni, na Região Central. A Fernão Dias está interditada em Igarapé, na Grande BH; e em Carmópolis de Minas, Oliveira e Santo Antônio do Amparo, na Região Centro-Oeste.

Fonte: Rádio Itatiaia

Comentarios